PORTALEUCLIDENSE: Dilma conta com aliança entre Edir Macedo e Valdemiro Santiago para criação de novo imposto, diz jornalista

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Dilma conta com aliança entre Edir Macedo e Valdemiro Santiago para criação de novo imposto, diz jornalista

A presidente Dilma Rousseff (PT) conseguiu um feito raro em sua luta para permanecer no poder e tentar reequilibrar as contas públicas: uniu dois grupos de políticos ligados aos rivais bispo Edir Macedo e apóstolo Valdemiro Santiago.

Os interlocutores da presidente conseguiram juntar os parlamentares ligados a Macedo e Santiago em torno da proposta de recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), com a promessa de isenção do imposto às transações realizadas pelas igrejas.

No encontro intermediado pelo senador Marcelo Crivella (PRB) entre a presidente Dilma Rousseff e diversas lideranças evangélicas, incluindo os pastores Samuel e Abner Ferreira, da Assembleia de Deus Madureira, o deputado federal Francisco Floriano (PR-RJ) estava presente, sendo porta-voz do grupo de parlamentares ligados à Igreja Mundial do Poder de Deus, de Valdemiro Santiago.

Crivella, que é bispo licenciado da Universal, exercia o papel de interlocutor da bancada do PRB, que apoia Dilma e abriga todos os parlamentares da denominação de Edir Macedo.

A união entre os grupos políticos de Macedo e Santiago estaria gerando “ciumeira” nos demais líderes evangélicos, de acordo com informações do jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

“A ciumeira entre os evangélicos, principalmente os aliados a Eduardo Cunha, é enorme”, escreveu Jardim, ao contextualizar a notícia: “Os líderes das grandes igrejas evangélicas ainda não entenderam bem o porquê da aliança entre dois rivais históricos: bispo Macedo, da Universal do Reino de Deus, e Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus. Os grupos políticos dos dois, que vivem às turras por tempo de programação na televisão aberta e outras questões nem tão teológicas, uniram-se ao governo pela aprovação da CPMF, desde que as igrejas fiquem isentas”, informou.

Ainda segundo o jornalista, “pastores compartilham quase todos os dias em grupos de WhatsApp a foto do encontro de Dilma com Marcelo Crivella, capitaneando evangélicos da Universal, e com o deputado Francisco Floriano, à frente dos políticos ligados à Igreja Mundial”, num exemplo claro de perplexidade com a situação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário