PORTALEUCLIDENSE: Museu que contará início da trajetória de Lula custará R$ 18 milhões

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Museu que contará início da trajetória de Lula custará R$ 18 milhões

União e a prefeitura de São Bernardo do Campo bancarão a construção do prédio. Entre as atrações, está previsto um espaço que reacriará o ambiente das reuniões lideradas pelo ex-presidente na década de 70

O Ministério da Cultura será o principal financiador de um museu em São Bernardo do Campo (SP) que pretende contar a história dos trabalhadores do Grande ABC – e que deve dar destaque às atividades do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como líder sindical na década de 1970. Chamado de Museu do Trabalho e do Trabalhador, apenas o prédio deve custar R$ 18 milhões – dos quais R$ 14,4 milhões sairão do governo federal e outros R$ 3,6 milhões serão bancados pela prefeitura de São Bernardo do Campo. O anúncio do início das obras será feito hoje, com a presença da ministra da Cultura, Ana de Hollanda.
O prédio será erguido num terreno de cerca de 10 mil metros quadrados ao lado da prefeitura de São Bernardo, um dos cenários das greves do fim da década de 1970 que antecederam a criação do PT. No local, funcionava o antigo mercado municipal da cidade. Entre as principais atrações, está prevista uma sala que vai recriar, com recursos audiovisuais, o ambiente das reuniões a céu aberto lideradas por Lula.

O convênio entre o Mi­­­nistério da Cultura e a prefeitura para a construção do prédio foi assinado em 2010, quando Lula ainda ocupava o Palácio do Planalto. No entanto, a primeira parcela de recursos da União, de R$ 1 milhão, só foi liberada agora devido a problemas burocráticos. Além do dinheiro para a construção do prédio, Luiz Marinho (PT), prefeito de São Bernardo e ex-ministro do Trabalho no governo Lula, revelou que pretende recorrer à Lei Rouanet, mecanismo de renúncia fiscal do Ministério da Cultura, para bancar os gastos com o interior do museu.

Apesar da forte ligação do museu com o início da história política do ex-presidente, Marinho nega que este será “o museu do Lula”. “O museu tratará da história do trabalhador desde a década de 20”, disse. “Não será o museu do Lula. Não será nem o museu do metalúrgico.” Segundo ele, a proposta do museu será semelhante à dos museus da Língua Portuguesa e do Futebol, em São Paulo. “Terá muita tecnologia, será um museu atual.”

Lulismo

Sócio do escritório de arquitetura que está projetando o museu, Marcelo Ferraz disse recentemente que a obra foi encomendada a ele pelo próprio presidente Lula. “Vamos tratar do trabalho do homem numa dimensão ampla, com foco na região do ABC. Ele poderia estar em qualquer lugar do mundo, mas está em São Bernardo – cidade ícone do trabalho. Porém, não será o memorial do metalúrgico”, afirmou Ferraz, em entrevista ao site AECweb, especializado em construção.

O projeto do ABC será o segundo museu com referências à trajetória de Lula. Na Câmara de São Paulo, tramita uma proposta do prefeito Gilberto Kassab (PSD) que autoriza a cessão ao Instituto Lula de um terreno oferecido para o Memorial da Democracia, na região da cracolândia. O memorial receberá o acervo de Lula na Presidência e pode custar até R$ 60 milhões.



fonte- gazeta do povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário