PORTALEUCLIDENSE

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Para pagar dívidas acumuladas, Claudinéia de Moraes, de 32 anos, moradora de Itu (SP) decidiu “leiloar” os cabelos que não corta há 15 anos. Com um filho de 2 anos, a dona de casa acredita que o valor adquirido com as madeixas – atualmente com 1,30 metro – possa acertar a renda da família. “É a única saída que encontro para colocar as contas em dia”, diz.
Em entrevista ao site G1, a dona de casa conta que após divulgar fotos em uma rede social, recebeu propostas que variam entre R$ 600 e R$ 2 mil, mas garante que, mesmo que a quantia seja tentadora, os cabelos valem mais. “Ele é bem cuidado, é fino e não tem nenhuma química. Não faço nada demais com ele. Só lavo, passo condicionador e pronto. Nem secador eu tenho. Ele seca naturalmente e depois prendo”, conta.


Claudinéia conta que, sem ter com quem deixar o bebê, saiu do emprego para se dedicar à criança. “Trabalhava como empregada doméstica e não pensava em chegar a esse ponto”, conta. Na época, o salário era de R$1.200.

Para não viver somente com a renda do marido, ela tomou a iniciativa de montar uma venda, em um cômodo na casa da mãe. Mas, o que ganha não é suficiente.

‘Dor no coração’

Apesar da quantidade e do tamanho, Claudinéia afirma que a cabeleira não dá trabalho. Ela garante que menos de 10 minutos no banho são suficientes. “Eu mesma lavo e cuido dele. Nem hidratação faço, até porque não tenho condições financeiras de comprar cremes”, comenta.

Segundo o G1, a dona de casa conta que a ideia do “cabelão” surgiu depois de uma má experiência em salão de beleza e decidiu tomar uma decisão: nada de corte. “O rapaz cortou demais e não gostei do resultado. Mesmo que pensem, não é por religião”, pontua.

Apesar dos cuidados, ela aguarda compradores. “Tenho dó. Mas, mesmo com dor no coração, é uma necessidade”, finaliza.

(Fotos: Amanda Campos/G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário