PORTALEUCLIDENSE: Adolescente morre com suspeita de Guillain-Barré em Jacobina

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Adolescente morre com suspeita de Guillain-Barré em Jacobina

A Secretaria Municipal da Saúde de Jacobina, no Centro-norte da Bahia, investiga se a morte de uma adolescente de 17 anos pode ter sido provocada por síndrome de Guillain-Barré. Bruna Larissa Rodrigues dos Santos, 17 anos, deu entrada no Hospital Municipal de Jacobina às 9h28 de terça-feira (9) e morreu na madrugada desta quinta-feira.

De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica da cidade, Rizia Naiara Araújo, a adolescente chegou ao hospital se queixando de dores nas pernas. "Ela foi internada, mas o quadro se agravou e ela foi colocada na regulação, para esperar por uma transferência", contou a diretora. 

Ainda segundo Araújo, a suspeita de síndrome de Guillain-Barré foi levantada por um dos profissionais que atenderam a adolescente no hospital. Uma investigação foi aberta para apurar o caso, mas nada foi confirmado ou descartado ainda. A apuração não tem prazo para ser concluída, mas a diretora acredita que a confirmação de Guillain-Barré seja pouco provável. 

"As vítimas de Guillain-barré apresentam um quadro de evolução mais demorado que no caso da paciente. Ela deu entrada em um dia e morreu dois dias depois. Os leucócitos dela estavam elevados e isso não é comum em um quadro viral, como é o caso de dengue, zika e chikungunya, é mais comum em casos de doenças bacterianas. Ela também não apresentava febre", explicou.

A Secretaria de Saúde ainda não sabe se Bruna Larissa tinha histórico de zika. O corpo dela foi sepultado na tarde desta quinta-feira, em Jacobina. 

O município também foi assolado pela zika e no ano passado registrou três casos de microcefalia - segundo os especialistas, a anomalia pode ser consequência do zika vírus - e nenhum caso de síndrome de Guillain-Barré.

A síndrome de Guillain-Barré é uma doença neurológica. Os pacientes apresentam fraqueza progressiva nas pernas, seguida de paralisia muscular. Em geral, a doença atinge o ponto máximo de gravidade por volta da segunda ou terceira semana e regride devagar. Não se conhece a causa específica da síndrome e está associada a vários vírus, inclusive ao vírus da Zika.

Nenhum comentário:

Postar um comentário