PORTALEUCLIDENSE: Dívida pode ter sido a causa do homicídio de artesão em Euclides da Cunha; autor do crime foi preso

quinta-feira, 31 de março de 2016

Dívida pode ter sido a causa do homicídio de artesão em Euclides da Cunha; autor do crime foi preso

Na terça-feira (29), por volta das 19h20, uma ligação para o Hospital Municipal ACM/Português, informava a existência de um homem ferido à facada na Av. Ruy Barbosa, que se encontrava caído na calçada de um grande estabelecimento comercial, e pedia uma ambulância para socorrê-lo, pois perdia muito sangue.
Socorristas foram enviados ao local, porém, nada mais poderia ser feito, além de remover o corpo, que já não apresentava sinais vitais visíveis, segundo informou Dariheliton, motorista da ambulância, deslocada para o HMACM, minutos depois após ter sido avisada sobre o crime, que repercutiu imediatamente nas redes sociais e muitos curiosos se dirigiram ao hospital, onde, pouco tempo depois, a esposa da vítima chegou e reconheceu o corpo do marido, já que o mesmo se encontrava desprovido de qualquer documento.

Identificado como Jackson Santos Andrade, artesão e comerciante de bijuteria, bastante conhecido, que costumava comercializar seus produtos em locais movimentados da região central da cidade, principalmente na Praça Duque de Caxias. A vítima foi atingida por uma única facada desferida por Edvaldo Batista dos Santos, mais conhecido como “Edí”, um profissional de serviços automotivos, residente na localidade do Gaspar, perímetro urbano da Rodovia Santos Dumont (BR 116/Norte), em Euclides da Cunha.

O fato foi comunicado a polícia militar e uma guarnição da Cia Especial Tático Operacional – CETO, do 5º BPM, foi deslocada para o local do crime e de posse de informações sobre o assassino seguiu para a rodovia Santos Dumont, onde conseguiu prender, em flagrante delito, o criminoso/confesso, quando este se encontrava próximo de sua residência, para onde fugira em uma bicicleta após praticar o crime.
Conduzido para o Complexo Policial Civil de Euclides da Cunha, foi apresentado ao delegado Paulo Jason de Melo Falcão – titular da 1ª Delegacia Territorial, que após ouvi-lo, preliminarmente, rapidamente seguiu à frente de uma equipe de agentes na tentativa de localizar a arma do crime que, até então, era tido com um canivete, segundo informações do acusado, em confissão, um tanto quanto confusa, sobre o tipo de arma usada no crime.

Com ajuda de um irmão do acusado, a arma foi localizada e apreendida. O irmão do criminoso/confesso disse que a relação entre seu irmão e a vítima não era boa, já que ambos haviam brigado por mais de uma vez, por conta de uma dívida contraída pela vítima junto a Edí, decorrente de serviço mecânico feito no motor do carro da vítima e que já se passara cerca de 8 meses, sem solução.

Ontem, mais uma vez, por volta das 17h, a vítima apareceu na oficina mecânica de propriedade dos irmãos Batista, onde Edí trabalha e os dois tiveram uma nova discussão. Mais tarde, quando já se encontrava em casa, por volta das 19h32, o irmão recebeu uma ligação de Edí, que ao ser perguntado onde se encontrava, teve como resposta: “estou no centro da cidade, para resolver o problema com Jackson”, respondeu. “Pedi-lhe que viesse para casa. Acho que àquela altura, já havia acontecido o pior”, disse o irmão, bastante chateado com o desfecho da questão. A vítima deixou esposa e filhos pequenos.

As informações são de José Dilson Pinheiro/site euclidesdacunha.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário