PORTALEUCLIDENSE: Maxi Biancucchi processa empresa de jogos eletrônicos

sábado, 5 de março de 2016

Maxi Biancucchi processa empresa de jogos eletrônicos

O atacante Maxi Biancucchi, que está 'encostado' no Bahia onde recebe cerca de R$ 200 mil para treinar, quer angariar mais uma boa quantia para a sua poupança.
O argentino, além de mais de 50 jogadores, processa a empresa de jogos eletrônicos a E.A. Sports Electronic Arts Ltda, dona das franquias Fifa Soccer e Fifa Manager.

O gringo entrou na Justiça com uma ação por danos morais e materiais porque seu nome e imagem foram utilizados nos jogos da fabricante de games. Maxi pede uma indenização de R$ 160 mil. Seu nome, imagem e características físicas e técnicas foram utilizados nas edições de 2008, 2009, 2010 e 2014 das duas franquias da Electronic Arts.

A defesa do jogador do Bahia assim baseia seu pedido de indenização: "a imagem, mormente do atleta de futebol, passou a ser um bem consumível. Assim, jogadores conhecidos como Messi, Beckham, Kaká, Neymar etc, associam suas imagens a inúmeros produtos comercializados mundialmente, recebendo, em troca, valores decorrentes de contratos de publicidade milionários. Considerando tal realidade, os jogadores de futebol devem ter cuidado extremo com a exploração indevida de sua imagem".

O processo teve início do mês passado, e a empresa norte-americana ainda não apresentou sua defesa. Além de Maxi Biancucchi, a lista dos novos processantes da dona do Fifa Soccer incluem o meia Renato Cajá, que já passou pelo Vitória, e o atacante Reinaldo, que atuou no Bahia.

Segundo a UOL Esporte, os mais de 50 jogadores buscam ser indenizados em valores que vão de R$ 70 mil a R$ 700 mil. A empresa, por sua vez, afirma ter direito de produzir os jogos que vende comercializa, porque teria licença da FifPro (Federação Internacional de Futebolistas Profissionais).

Nenhum comentário:

Postar um comentário