PORTALEUCLIDENSE: Criminoso é preso com 21 pedras de crack em Euclides da Cunha

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Criminoso é preso com 21 pedras de crack em Euclides da Cunha

Policiais militares do 5º BPM/Euclides da Cunha, em ronda ostensiva pela cidade, prenderam a pessoa de Valdemir da Paixão da Silva, o “Valdemir”, maior de idade, natural de Valença BA, residente no bairro do Pau Miúdo, em Euclides da Cunha BA.
A prisão aconteceu na madrugada desta sexta-feira (13), no Terminal Rodoviário de Euclides da Cunha, quando, segundo o comandante da guarnição, desconfiaram de um homem, no momento em que a guarnição passava pelo TR, onde Valdemir se encontrava e resolveu fazer uma abordagem, solicitar documentos pessoais e da motocicleta que conduzia, uma Honda CG 125 Titan, placa DJJ 1399 licença de São Bernardo do Campo SP.

Valdemir, que se encontrava com escoriações diversas pelo corpo, -tatuado com figuras comuns bastante usadas por presidiários, inclusive a reprodução de uma folha de cannabis sativa (maconha), localizada na parte póstero-superior do tórax (omoplata) direita-, provocadas por uma queda da motocicleta que conduzia e colidira contra o meio-fio do TR, quando retornava do bairro das Casas Populares, segundo disse, não portava os documentos exigidos, o que levantou fortes suspeitas por parte dos policiais.

Uma rápida inspeção na motocicleta ficou evidente tratar-se de veículo de procedência duvidosa, pois a numeração gravada no chassi encontrava-se raspada. Numa consulta feita por este repórter por meio do aplicativo Infoseg, a licença da placa não corresponde ao município de São Bernardo do Campo SP, e sim ao Município de São Paulo – capital, evidenciando uma possível clonagem de placa, pois as características das motocicletas são as mesmas.

Segundo a polícia, Valdemir tentou se desfazer de vinte e uma pedras de crack que transportava, ao tentar escondê-las protegendo-as com o corpo, mas foi descoberto. O acusado negou que a droga fosse sua, o que é comum entre traficantes presos, negar a propriedade da droga, mesmo quando são pegos em flagrante delito. Também negou ser proprietário da moto e alegou ter tomado o referido veículo emprestado de um amigo morador do bairro.

Antes der ser conduzido para a 1ª DT, a guarnição providenciou leva-lo ao Hospital Municipal ACM/Português, onde recebeu atendimento médico, por conta das escoriações sofridas na queda.

HISTÓRICO POLICIAL DE CRIMES: Em setembro de 2010, depois de uma denúncia anônima, foi preso por uma equipe da Polícia Civil de Euclides da Cunha, em uma biqueira (local de venda de droga) no beco do Acre, ocasião em que foram apreendidos em seu poder, um revólver calibre 32, municiado com quatro cápsulas intactas, grande quantidade de papel alumínio cortado para embalagem de pedra de crack, cinco maricas (espécie de cachimbo usado por “sacizeiros”, ou seja, pessoas viciadas em crack), além de 151 reais fracionados em notas de R$ 2, 20, 10, e uma moeda de 1 real, reforçando a suspeita de ser aquele local, lugar de venda de drogas.

No interrogatório conduzido pelo então delegado Antônio Fábio, Valdemir- que já era suspeito de ter participado do homicídio de outro traficante conhecido como Anderson-, terminou por confessar a autoria do assassinato de Vaílson de Oliveira, vulgo “Ligeirinho”, um perigoso ladrão arrombador, assaltante, traficante de drogas, com diversas passagens pela polícia, quando ainda menor de 18 anos.

Anderson foi executado com vários tiros na cabeça, enquanto Ligeirinho conseguiu escapar, mesmo baleado, e ficou internado para tratamento no Hospital Municipal ACM de Euclides da Cunha. Sessenta dias depois de ter recebido alta médica, o meliante voltou a delinquir, quando foi assassinado por Valdemir, contra quem havia praticado o chamado crime de “quebrança”, que é quando alguém, no mundo do crime, neste caso, ‘tráfico’, compra droga de outro traficante e não efetua o pagamento do “bagulho”.

Ainda em seu depoimento ao delegado Antônio Fábio, Valdemir confessou ser foragido do Presídio de Simões Filho (Região Metropolitana de Salvador), onde cumpria pena de três anos de prisão, condenado por crime de tráfico de drogas. Aproveitando-se de um indulto do ‘Dia das Mães’ que a Justiça lhe proporcionara, deixou de retornar ao presídio e refugiou-se em Euclides da Cunha, onde continuou a traficar.

NEGANDO TUDO: Sempre negando ser traficante e de não ser o dono do bagulho encontrado com ele, -segundo os policiais militares que o prenderam agora, repetia em seu depoimento desta sexta-feira (13), “ser homem para assumir o que era dele”, insinuando não estar com a droga e que o entorpecente se encontrava ali por um ocaso; que trabalha como vendedor ambulante de artigos de bijuteria em Euclides da Cunha, Canudos, Uauá, Chorrochó e, até lembrou-se de uma tentativa de homicídio praticada dentro da cela do xadrez da carceragem da 1ª DT/Euclides da Cunha, onde se encontrava à disposição da Justiça para julgamento, contra o preso Edgílson Silva de Santana (morto há pouco tempo, vítima de assassinato praticado por um cigano na localidade das Sete Curvas, na estrada de Aribicé, e Danilo Silva dos Santos, quando se encontravam todos na mesma cela e se desentenderam. Contudo, disse não se lembrar do nome da mulher com quem tem uma relação; nome da rua onde mora há muitos anos, segundo o próprio.

Agora, e mais uma vez, foi autuado em flagrante delito e enquadrado no artigo 33 da Lei 11343/2006 (Lei Antidrogas), sendo determinado o seu recolhimento, mais uma vez, ao xadrez da carceragem da 1ª DT, onde permanecerá à disposição da Justiça da Comarca de Euclides da Cunha.

euclidesdacunha.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário