PORTALEUCLIDENSE: Policiais são afastados por suspeita de torturar família em SC; veja vídeo

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Policiais são afastados por suspeita de torturar família em SC; veja vídeo

Câmera de segurança flagra policial disparando contra pé de vítima (Foto: Reprodução/RBS TV)
Eles estavam de folga; confusão ocorreu após policial urinar em portão.
Uma vítima foi atingida com um tiro no pé; outra levou soco no rosto.

Dois policiais civis foram afastados por suspeita de agredir, torturar e ameaçar uma família no sábado (5) em Biguaçu, na Grande Florianópolis. Conforme a Polícia Civil, os dois estavam em folga quando o caso ocorreu. Uma vítima chegou a ser baleada.

Veja vídeo.
Por volta das 22h, quando parentes estavam fechando o serviço de guincho onde trabalham, um dos policiais urinou na frente da empresa, como mostram as imagens da câmera de segurança.


Houve uma discussão e, conforme a família, os dois policiais, que tinham voltado para um carro, saíram do veículo e atiraram contra o portão e a fachada do local. A família relatou que correu para dentro da casa, que fica nos fundos do guinhco, mas os dois policiais invadiram a residência.

“Meu pai chamou a atenção deles, avisando que 'tinha mulher, tudo', aí eles fizeram xingamentos, ameaças, aí 'o pai e eu' chamamos eles de vagabundos”, disse André Simones, uma das vítimas.

Vítimas pensaram que era assalto
As vítimas chegaram a pensar que se tratava de uma assalto e chegaram a oferecer dinheiro e um carro para os dois irem embora. Entretanto, os dois se identificaram como policiais.

Os suspeitos são Fábio Carminatti, lotado na 1ª Delegacia de São José, e Isaías Oliveira da Silva, lotado na Divisao de Investigação Criminal (DIC) de São José.

A família afirma ter sido vítima de tortura por parte dos policiais, que chegaram a disparar um tiro. Um dos funcionários da empresa também diz que teve um a pistola do policial apontada para a cabeça sob ameaça de morte.

Homem apanhou de policial em Biguaçu, na Grande Florianópolis (Foto: Reprodução/RBS TV)
“A arma ‘engasgou’ e soltou uma bala. Aí quando ele foi juntar a bala, eu saí correndo”, disse Jonas de Jesus, chorando.
As câmeras de segurança também registraram o momento em que o filho de uma das vítimas tenta impedir que seu pai apanhe de um policial, mas mas acaba baleado no pé.

Quando os policiais encontraram documentos na casa e perceberam que a família presta serviço para a Polícia Rodoviária Federal, fugiram fazendo ameaças à família.

Polícia pede afastamento
A delegada Corregedora da Polícia Civil, Sandra Mara Pereira, recolheu as armas e as carteiras funcionais dos policias. Ela também pediu o afastamento provisório por até 60 dias.

“A gente tem ali algumas situações que, analisando mesmo, podem entrar em crime de tortura, entrar num crime de disparo de arma de fogo", disse Sandra. Ainda segundo ela, os homens podem ser suspensos ou até terem a demissão qualificada.

Conforme a corregedora, caso os agentes continuem em atuação devem passar por programas de avaliação psicológica antes de voltarem às ruas.

Em nota, as secretarias de Estado da Justiça e Cidadania (SJC) e da Segurança Pública informam que abriram procedimento administrativo para averiguar a conduta dos dois.

g1sc

Nenhum comentário:

Postar um comentário