PORTALEUCLIDENSE: Ativistas ateus movem ação para remover frase “confiamos em Deus” das notas de dólar

domingo, 11 de dezembro de 2016

Ativistas ateus movem ação para remover frase “confiamos em Deus” das notas de dólar

A frase “In God We Trust” (“confiamos em Deus”) nas cédulas de dólar virou alvo de uma ação judicial por parte de ateus que trabalham para o Tribunal Distrital do Norte de Ohio, nos Estados Unidos.
O ativismo ateu tem crescido e se tornado barulhento, com manifestações que buscam legitimidade à base de ações judiciais. Esses ativistas contam, muitas vezes, com a indisposição de entidades e escolas de despender dinheiro em processos, para impor sua visão cética.

Os autores da ação, que se denominam “um grupo formado por ateus e humanistas”, alegam que o lema nacional presente nas cédulas de dólar violam o Estado laico e seus direitos à liberdade de expressão. No documento, afirmaram que sentem-se constrangidos por algo no qual não acreditam.

De acordo com informações do Gospel Herald, advogados da maior organização do país dedicada à defesa da liberdade religiosa entraram no caso.

Outras ações semelhantes, pedindo a remoção da frase de cunho religioso da moeda norte-americana já foram movidos anteriormente, e arquivados. Em 2011, quando a ação mais recente chegou á Suprema Corte, representantes do Instituto First Liberty divulgaram uma nota oficial em nome da Legião Americana – a maior organização de serviços de veteranos das Forças Armadas dos EUA, com mais de 2 milhões de membros – defendendo o lema nacional.

“A Legião Americana acredita que o nosso lema acional, ‘In God We Trust’, se originaria do poema de Francis Scott Key, que se tornaria ‘A Bandeira Estrelada’ e honraria a coragem e o valor de nossos membros de serviço, que defenderam o Forte McHenry durante a guerra de 1812. É um lema apropriado e solene para esta nação. A Legião Americana tem, consequentemente defendido o reconhecimento e a honra de nosso lema, bem como a sua história e patrimônio”, dizia trecho da nota, ressaltando a representatividade histórica da história do país sintetizada na frase.

A aparição da frase no dólar aconteceu em 1864, quando o Congresso aprovou a inclusão nas moedas, durante a Guerra Civil. Em 1956, os parlamentares aprovaram uma resolução para reconhecer essas palavras oficialmente como o lema nacional do país, substituindo a frase do latim “E Pluribus Unum” (“De muitos, um”). Em 1957, o novo lema começou a ser impresso nas cédulas de moeda do país.

Real

Um procurador do Ministério Público de São Paulo tentou, há alguns anos, remover a frase “Deus seja Louvado” das cédulas do real, sem sucesso.

Jefferson Aparecido Dias pediu a retirada da frase, alegando violação à laicidade do Estado, mas a Justiça Federal recusou a ação, pontuando que a menção a Deus nas “cédulas monetárias não parece ser um direcionamento estatal na vida do indivíduo que o obrigue a adotar ou não determinada crença”.

Entre os argumentos manifestos na decisão, a Justiça pontua que a retirada da frase nas cédulas do real poderia gerar “intranquilidade” na sociedade, além de custar R$ 12 milhões aos cofres públicos, devido à necessidade de mudança no layout, recolhimento e reimpressão de notas.

gnoticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário