PORTALEUCLIDENSE: Caminhão perde força e volta de ré na ladeira da Rua do Cruzeiro de Maria

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Caminhão perde força e volta de ré na ladeira da Rua do Cruzeiro de Maria

Motorista tentou engrenar a primeira marcha, porém, não foi possível e o veículo voltou em marcha ré

Por pouco, a cidade não registrou na noite desta segunda-feira (26), uma possível tragédia, quando um caminhão Mercedes Benz, placa BWI 9751, carregado de tubos de PVC perdeu a força na subida da ladeira da Rua Alto do Cruzeiro, principal acesso ao Bairro da Caixa D'Água, próximo da pracinha, e retornou em marcha ré indo parar na Rua Pedro Agres de Carvalho, em frente ao antigo Bar da Loura.
O fato aconteceu por volta das 23h10, quando muitos moradores já estavam dormindo. O Site euclidesdacunha.com, que chegou ao local, minutos depois do incidente, apurou que o caminhão, que já vinha em segunda marcha, ao passar pelo quebra-molas existente no meio da ladeira, perdeu a força e o motorista tentou engrenar a primeira marcha, porém, não foi possível e o veículo voltou em marcha ré, os freios foram acionados e também não responderam plenamente, havendo a necessidade de uma manobra radical para que não atingisse as residências da Rua Pedro Agres ou Rua Alto do Cruzeiro.


A habilidade do motorista e um pouco de sorte ajudaram na manobra, pois o caminhão foi direcionado para um terreno baldio da esquina da Rua Pedro Agres, justamente na parte mais plana e ao nível da rua, além de duas placas de trânsito que foram atingidas e ajudaram a conter o veículo, que parou com parte das rodas na via pública e a outra no terreno. O veículo não tinha um dos pneus internos do conjunto de rodas do segundo eixo, provavelmente perdido após ter estourado durante o trajeto de Monte Santo para Euclides da Cunha.

A carga bem amarrada com cabos de aço e cordas resistentes, tombou um pouco, porém, não o suficiente para cair e, certamente, atingiria as casas mais próximas. Pessoas que se encontrava no Bar Brilho do Sol, ajudaram o motorista a colocar o veículo em posição de movimento e a retirada do mesmo foi feita com relativa segurança, pelo próprio condutor, que tinha na cabine, a companhia de dois filhos menores.

Este não é o primeiro incidente com caminhão ocorrido no local. Não faz muito tempo, outro caminhão que transportava um carregamento de areia, que também perdeu a força na subida da ladeira, justamente no mesmo quebra-mola, voltou em marcha ré e atingiu o muro da residência do Sr. Herculano Francisco e arrancou pela raíz o robusto pé de fícus que existia em frente ao Bar Brilho do Sol. A árvore de raiz profunda e resistente, também ajudou a conter o veículo. Nesses dois momentos, devido ao horário, - este incidente aconteceu por volta das 13h, e o de ontem, entre 23h00 e 23h20, quando o movimento no local é bastante reduzido. 


Quando do primeiro incidente registrado neste quebra-mola, o site euclidesdacunha.com ouviu vários motoristas de caminhão, que condenaram a implantação desse tipo de equipamento, justamente no meio de uma ladeira acentuada e a menos de 100m de outro quebra-molas (Rua José Lopes de Moura), quando caminhões reduzem a velocidade e precisam sair em 1ª ou 2ª marcha, não havendo tempo suficiente para aumentar a velocidade do caminhão.

Em muitos casos, principalmente envolvendo caminhões mais antigos, a necessidade de o motorista voltar a usar a primeira marcha, que pode não engrenar facilmente, o que certamente provocará o retorno do caminhão em marcha ré, colocando em risco imóveis residenciais e vidas, situados no cruzamento das Ruas Jaime Amorim da Silva, José Lopes de Moura, Manoel Rufino Celestino, Pedro Agres e Cruzeiro de Maria. 


A nova administração pública, que começará em 1º de janeiro de 2017, deverá fazer um estudo sobre a colocação desses quebra-molas, todos sem a devida pintura que os identificam, como determina o Contran, que têm causado danos ao sistema de suspensão de veículos, principalmente, automóveis, com prejuízo materiais e financeiros aos seus proprietários. 

A colocação de quebra-molas é regulamentada pelo Contran e não pode ser feita aleatoriamente, como tem acontecido na cidade em quase todas as estradas do Município, vicinais ou municipal, de acordo com a vontade de cada pessoa que reside à beira dessas vias de tráfego. A implantação ondulações transversais (lombadas) devem obedecer a Lei 9.503/97 - Resolução 39/98 do Contran. Cabe a municipalidade indicar conforme a legislação, o espaçamento e o padrão necessários. Neste caso do quebra-mola da Rua Jaime Amorim da Silva, o desrespeito à Legislação em vigor é gritante, pois está a menos de 15 metros de uma rua com curva e forte tráfego de transporte escolar.

euclidesdacunha.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário