PORTALEUCLIDENSE: ESTADO DA BAHIA ENTRA EM ALERTA CONTRA A FEBRE AMARELA

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

ESTADO DA BAHIA ENTRA EM ALERTA CONTRA A FEBRE AMARELA

Até a última semana, Minas Gerais registrou 133 casos suspeitos de febre amarela e 38 óbitos relacionados à doença. Na Bahia, não foram registradas ocorrências da enfermidade, no entanto, para evitar que o problema chegue ao estado, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) emitiu orientações para evitar um possível surto.
O órgão recomendou que todos as cidades reforcem ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti, um dos vetores do vírus transmissor da febre amarela. Além disso, a Sesab solicitou que 100% da população de 45 cidades baianas sejam imunizadas contra a doença.

A intenção, de acordo com a superintendente de vigilância da saúde da Sesab, Ita de Cácia Aguiar, é ampliar as ações de rotina para prevenir a proliferação dos mosquitos vetores da doença: o Haemagogus (transmissor em áreas silvestres) e o Aedes aegypti (vetor em áreas urbanas).

"Não há registros de casos na Bahia. Estamos apenas em alerta para que a situação não se repita no estado, uma vez que fazemos fronteira com Minas Gerais. Trata-se de um reforço de ações rotineiras, com monitoramento e observação", afirmou a superintendente.


Para o combate ao Aedes, a orientação do órgão é que as prefeituras dos municípios ampliem as ações de combate aos focos do mosquito e que solicitem à secretaria estadual os carros fumacê, caso necessário.

Já para o combate ao mosquito Haemagogus, a gestora informou que secretaria estadual reforçou o monitoramento de casos de epizootia – doença que afeta uma comunidade animal e que se dissemina com rapidez.

Macacos

"Em áreas silvestres, o vírus é mantido pela infecção em macacos. Quando temos notícia da morte desses animais em qualquer região do estado, imediatamente acionamos equipes para investigar a motivo", afirmou.

Segundo Ita, a infecção humana ocorre quando uma pessoa não imunizada entra em áreas de cerrado ou de florestas. "Uma vez infectada, a pessoa pode servir como fonte de infecção para o Aedes aegypti que, por sua vez, pode iniciar a transmissão da febre amarela em área urbana", explicou. Ainda de acordo com a Sesab, todos os municípios da Bahia estão abastecidos com a vacina contra a doença.

Em Salvador, a coordenadora da vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Ana Paula Pitanga, disse que a vacina está disponível em todos os postos.

Segundo ela, a imunização contra a febre amarela segue o protocolo normal para a doença. "A vacina deve ser aplicada em crianças com nove meses e reforçada aos 4 anos. A vacinação deve ser repetida 10 anos após as duas doses", disse.

Notificação

As secretarias municipal e estadual solicitaram que profissionais da área de saúde notifiquem aos gestores qualquer caso de pacientes que apresentem sintomas como febre alta, mal-estar, dor de cabeça, dor muscular muito forte, cansaço, calafrios, vômito e diarreia.

Como os sintomas são muito parecidos com os da dengue e demais doenças transmitidas pelo Aedes, o diagnóstico deve ser confirmado por exames laboratoriais específicos.

"É preciso procurar um médico a qualquer sinal desses sintomas. Um diagnóstico preciso pode evitar, além do agravamento do estado de saúde, o risco de epidemia em áreas urbanas", recomendou a coordenadora da vigilância da SMS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário