PORTALEUCLIDENSE: Uruguaios provocam torcedores da Chapecoense com gestos de avião caindo

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Uruguaios provocam torcedores da Chapecoense com gestos de avião caindo

Do elenco do clube catarinense, sobreviveram apenas o goleiro Jackson Follmann, que teve parte de uma das pernas amputada, o zagueiro Neto, e o lateral Alan Ruschel, o único que conseguiu voltar a atuar profissionalmente até o momento.
Um fato lamentável marcou a derrota da Chapecoense por 1 a 0 para o Nacional (Uruguai), na última quarta-feira (31), na Arena Condá, pela pré-Libertadores. Torcedores do clube uruguaio presentes no estádio imitaram um avião caindo, em alusão à tragédia do final de 2016, na qual 71 das 77 pessoas a bordo morreram.

As imagens rapidamente viralizaram nas redes sociais e chocaram os torcedores ao redor do continente sul-americano. Em resposta, alguns torcedores da Chape vandalizaram carros de alguns uruguaios, segundo relatos dos visitantes. Pelo Twitter, membros da torcida do Nacional se desculparam e lamentaram as provovações dos coirmãos.

Na tragédia, 19 jogadores, comissão técnica, jornalistas e comissários de bordo morreram após o avião da empresa LaMia cair, na Colômbia, quando o time alviverde viajava para enfrentar o Atlético Nacional, pela final da Copa Sul-Americana.

Do elenco do clube catarinense, sobreviveram apenas o goleiro Jackson Follmann, que teve parte de uma das pernas amputada, o zagueiro Neto, e o lateral Alan Ruschel, o único que conseguiu voltar a atuar profissionalmente até o momento. Outro sobrevivente brasileiro foi o jornalista Rafael Henzel. Os comissários Ximena Soares e Erwim Tumiri também conseguiram se salvar do acidente.

Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário