PORTALEUCLIDENSE: ELEIÇÕES 2018: EM EUCLIDES DA CUNHA, QUE NÃO PLOTA O CARRO PERDE GRATIFICAÇÃO DA PREFEITURA

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

ELEIÇÕES 2018: EM EUCLIDES DA CUNHA, QUE NÃO PLOTA O CARRO PERDE GRATIFICAÇÃO DA PREFEITURA

Na disputa pelo voto para presidente, diversos empresário têm se esforçado para garantir que seus funcionários votem no candidato Jair Bolsonaro.
O argumento utilizado é que: caso Jair Bolsonaro não seja o vencedor, as empresas terão que fechar as portas e por consequência empregos serão perdidos.

Esta prática se configura em clara tentativa de coação e se confirmando é considerada crime previsto em Lei.
Em Euclides da Cunha-BA, um caso semelhante foi relatado por funcionários da prefeitura municipal.
Segundo denúncias, o prefeito Dr Luciano Pinheiro, teria realizado uma reunião com alguns funcionários concursados, para informar que, caso os mesmos não plotassem seus veículos particulares com a propaganda de campanha dos candidatos a deputados apoiados pelo prefeito, os mesmos não iriam continuar recebendo os valores adicionais aos seus salários.
Sentindo-se coagidos e com medo de perder o rendimento extra no valor de R$ 800,00 (Oitocentos reais) praticamente todos os funcionários que receberam o tal aviso, aceitaram obedecer a determinação, e plotaram seus carros.
No entanto, vários deles estariam deixando seus carros em suas garagens e passaram a se deslocar à pé pela cidade, por não serem eleitores dos candidatos a deputados apoiado pelo prefeito.
Desde que recebemos a denúncia, no final da manhã de hoje, quinta-feira(4) estamos tentando entrar em contato com a comunicação da prefeitura municipal, mas até o momento sem sucesso.
O Tudo é Política deixa em aberto este espaço para que as devidas explicações sejam dadas à população Euclidense.

4 comentários:

  1. Isso não procede, acho melhor você tira essas informações do seu site, pois já não é muito bem visto. Obrigado

    ResponderExcluir
  2. Pura invenção

    ResponderExcluir
  3. Cite os empresários que intimidam seus empregados.

    ResponderExcluir