PORTALEUCLIDENSE.: Professor e técnico de segurança são presos com pornografia infantil em Salvador

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Professor e técnico de segurança são presos com pornografia infantil em Salvador

Eles tinham materiais com imagens de menores de idade nuas ou em ato sexual

Um professor universitário que trabalha na Secretaria Estadual de Educação (SEC) e um técnico de segurança foram presos em flagrante nesta quinta-feira (22) em Salvador suspeitos de armazenar conteúdos de pornografia infantil.
Os dois homens, identificados como Forlã Santos da Conceição, 41 anos, e Paulo Henrique Sacramento, 33, respectivamente, foram presos no âmbito da Operação Luz na Infância, que teve sua terceira fase deflagrada hoje em 18 estados brasileiros e na Argentina.


De acordo com a Polícia Civil, através da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), os alvos foram identificados pela Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Dint/Senasp/MSP) em Brasília por conta do fluxo do conteúdo na internet. Na Bahia, a Luz na Infância 3 foi realizada sob a responsabilidade do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), em conjunto com a Dercca e do Grupo Especial de Repressão aos Crimes por Meios Eletrônicos (GME). 

A delegada titular da Dercca, Ana Crícia Macêdo, e a delegada coordenadora das delegacias especializadas, Claudenice Mayo, afirmaram que os dois já estavam sendo monitorados no âmbito da investigação e, com eles, foram identificados materiais que continham conteúdo pornográfico de crianças e adolescentes menores de 18 anos, durante ação de busca e apreensão realizados na manhã de hoje.

“Com o professor foram identificados dois notebooks, celulares, HDs externos, pendrives, câmeras, CDs, entre outros conteúdos. Com o técnico, o celular dele foi recolhido”, contou Claudenice em entrevista coletiva.

Os dois homens foram autuados em flagrante e estão à disposição da Justiça para a realização de audiência de custódia. Eles serão acusados de armazenar conteúdo de pornografia infantil, que dá pena de um a quatro anos de reclusão. 

“Armazenar e divulgar esses conteúdos já configura crime, de acordo com o nosso Estatuto da Criança e do Adolescente. Eles estão sendo acusados com base no artigo 241 b, que é armazenar esse conteúdo. O material recolhido durante a busca e apreensão será analisado pela perícia para verificar se algum outro tipo de crime foi cometido pelos dois”, explicou Ana Crícia Macêdo.

As delegadas explicaram que receberam os indícios de Brasília, da Dint/Senasp/MSP, e começaram a investigar os dois homens. Com o mandado de prisão expedido, os materiais foram encontrados e os homens presos em flagrante. Eles foram presos nos bairros de Castelo Branco e de Dom Avelar.

“O professor afirmou que sempre baixava vídeos em um programa que transferia para o computador dele qualquer conteúdo pornográfico e que, quando ele identificava que tinha conteúdo de adolescente e criança, ele apagava. O professor alegou que não tinha intenção de baixar vídeos de menores. Encontramos uma boa quantidade de conteúdos nesses materiais recolhidos”, contou Claudenice Mayo.

Não há indícios de que os homens tenham envolvimento na prática de quaisquer atos contra crianças e adolescentes além do armazenamento de conteúdos. Há suspeitas de outras pessoas que cometem o mesmo crime em Salvador. De acordo com as delegadas, elas seguem sendo investigados pela delegacia. “A gente espera informações em Brasília para fazer essa operação em conjunto. Quando temos indícios, pedimos o mandado de busca e apreensão e podemos prender as pessoas em flagrante”, explicou Claudenice.

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia informou em nota que Forlã atua na área administrativa. "A Secretaria aguarda a conclusão do inquérito policial para definir as medidas que serão adotadas", diz nota.

Operação
Essa é a terceira etapa da Operação Luz na Infância. A ação envolve polícias civis do Distrito Federal e de 18 estados, além do Corpo de Investigações Judiciais (CIJ) do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires, Argentina. A força-tarefa é coordenada pelo Ministério da Segurança Pública (MSP) e ocorre desde as primeiras horas da manhã. Em Salvador, a ação iniciou às 5h30.

As delegacias de proteção à criança e ao adolescente e de repressão a crimes informáticos receberam as informações, instauraram inquéritos e solicitaram aos juízes locais a expedição de mandados de busca e apreensão. As ações simultâneas realizadas no Brasil e na Argentina mobilizam um efetivo aproximado de 1.000 policiais. 

A Operação Luz na Infância 3 é fruto de cooperação entre a Diretoria de Inteligência da Senasp, a Polícia de Imigração e Alfândega dos EUA (US Immigration and Customs Enforcement-ICE), o Corpo de Investigações Judiciais (CIJ) do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires e as polícias civis do Brasil para o desenvolvimento e aprimoramento da atividade de repressão à exploração sexual infantojuvenil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário