PORTALEUCLIDENSE.: Dom Murilo Krieger, arcebispo de São Salvador da Bahia, visita pela primeira vez a Diocese de Serrinha

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Dom Murilo Krieger, arcebispo de São Salvador da Bahia, visita pela primeira vez a Diocese de Serrinha

Dom Otorrino Assolari bispo da Diocese de Serrinha  lembrou que dom Murilo Krieger foi o segundo arcebispo de São Salvador a visitar a Diocese de Serrinha desde que foi criada em 2005.

A Diocese de Serrinha no território do sisal recebeu na manhã deste domingo,23, a visita de Dom Murilo Krieger, arcebispo de São Salvador da Bahia, ele que esteve na cidade pela primeira vez com o objetivo de benzer dois cristais, um em homenagem a São José de Anchieta e outro a Irmã Dulce dos Podres.
O líder maior da igreja católica na Bahia aproveitou o momento para entregar oficialmente a reforma da Catedral de Senhora Santana.


Dom Otorrino Assolari bispo da Diocese de Serrinha  lembrou que dom Murilo Krieger foi o segundo arcebispo de São Salvador a visitar a Diocese de Serrinha desde que foi criada em 2005. “Dom Geraldo Majella, na época arcebispo de São Salvador, esteve em nossa posse. Também já recebemos várias vezes arcebispo de Feira de Santana, Zanoni Demettino Castro e o arcebispo emérito, dom Itamar Vian”, afirmou.


Antes de iniciar a celebração da missa, Dom Murilo falou sobre São José de Anchieta que era um jovem alegre, muito inteligente, simpático e querido por todos. Revelou-se um excelente escritor, leu e se deixou influenciar pelos escritos de São Francisco Xavier, o jesuíta evangelizador da Ásia. Tinha a veia poética, era um declamador talentoso. Por causa desses dotes, recebeu o apelido de “Canarinho”. Destacou também a vocação de Dulce dos Podres para trabalhar com pessoas pobres e carentes vem de berço, pelo exemplo do pai.

Dom Murilo, 75 anos, tomou posse com arcebispo de Salvador em março de 2011 e, ao falar para o CN, disse que com essa idade, o bispo é convidado a apresentar sua renúncia ao papa, “mas isso é um problema do bispo, no meu caso, enquanto ele deixar trabalhar aqui estarei trabalhando, estou bem de saúde e enquanto o papa deixar, estaremos aqui e quando não puder, vou para minha comunidade dos padres Coração de Jesus, a minha comunidade religiosa e gosto de viver em comunidade”, confessou.

Ele disse que ficou satisfeito com o convite de dom Otorrino e contou que antes de ser bispo, Otorrino era padre da Diocese de Ponta Grossa, Paraná “e nos tornamos amigos, inclusive quando foi para se ordenar bispo, ele (Otorrino) me perguntou onde fazia um brasão de bispo e recomendei um baiano, Vitor Hugo Carneiro Lopes, uma referencia nesta área. Daí ele veio pra cá, eu fui nomeado Arcebispo de Florianópolis e não imaginaria que nosso caminho se cruzasse, em especial vir para Bahia”. Disse Dom Murilo.

Redação CN

Nenhum comentário:

Postar um comentário