A África arde ainda mais do que a Amazônia


Soldados do exército queniano lutam contra um incêndio em março.ANDREW RENNEISEN (GETTY)

SOMENTE EM ANGOLA E NO CONGO HÁ 10.000 INCÊNDIOS ATIVOS CONTRA OS 2.127 DO BRASIL, A MAIORIA UTILIZADA PARA ATIVIDADES AGRÍCOLAS E PASTORAIS. 10% FOGEM DO CONTROLE E SÃO RESPONSÁVEIS POR 90% DA SUPERFÍCIE QUE QUEIMA

EM PLENA AGITAÇÃO MUNDIAL PELOS INCÊNDIOS NA BACIA DO AMAZONAS, UMA IMAGEM DE SATÉLITE DIVULGADA HÁ ALGUNS DIAS PELA NASA E ANALISADA PELA WEATHER SOURCE REVELOU QUE NA ÁFRICA CENTRAL HAVIA MAIS INCÊNDIOS DO QUE NO BRASIL. SOMENTE EM ANGOLA E NO SUL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO (RDC) HAVIA MAIS DE 10.000 FOGOS ATIVOS, CONTRA OS 2.127 DO PAÍS SUL-AMERICANO. DURANTE A REUNIÃO DO G7 EM BIARRITZ, O PRESIDENTE FRANCÊS, EMMANUEL MACRON, CHEGOU A ANUNCIAR A POSSIBILIDADE DE DESBLOQUEAR FUNDOS PARA COMBATER O FOGO TAMBÉM NO CONTINENTE AFRICANO. DE ACORDO COM OS ESPECIALISTAS, ENTRETANTO, NÃO SÃO FENÔMENOS COMPARÁVEIS. A MAIOR PARTE DOS INCÊNDIOS NA ÁFRICA, E ISSO ACONTECE TODOS OS ANOS, SE DEVE A TÉCNICAS AGRÍCOLAS ANCESTRAIS USADAS PELO HOMEM EM ATIVIDADES AGRÍCOLAS E PASTORAIS, SÃO CONTROLADOS E NÃO AFETAM GRANDES MASSAS FLORESTAIS E SIM PASTOS E TERRAS DE CULTIVO.

“O USO DO FOGO PARA CAÇAR, FAVORECER AS MELHORES PLANTAS À ALIMENTAÇÃO E À FIBRA, A LIMPEZA PARA A AGRICULTURA E O PASTOREIO, FACILITAR AS VIAGENS E CONTROLAR AS PRAGAS É BEM DOCUMENTADO, É TRADICIONAL E CONTINUA NA ATUALIDADE EM MUITAS PARTE DA ÁFRICA”, AFIRMA PETER MOORE, ESPECIALISTA EM GESTÃO DE INCÊNDIOS DO DEPARTAMENTO DE FLORESTAS DA FAO (ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A AGRICULTURA E A ALIMENTAÇÃO). É O SISTEMA PREFERIDO PELA MAIOR PARTE DOS CAMPONESES, ESPECIALMENTE EM ÁREAS ONDE TÊM POUCA RENDA E A AGRICULTURA NÃO É MECANIZADA, JÁ QUE É MAIS ECONÔMICO, PODE ACABAR COM CERTAS PRAGAS E DOENÇAS E AS CINZAS DO MATAGAL QUEIMADO TRAZEM NUTRIENTES AOS FUTUROS CULTIVOS, AINDA QUE A MÉDIO PRAZO E SEM UMA GESTÃO ADEQUADA DE SEU ALCANCE E INTENSIDADE ACELERAM A EROSÃO DO SOLO.

Imagem de satélite mostra o fogo que cruza por Angola, Zâmbia e o Congo, em 25 de agosto.NASA (REUTERS)
A IMAGEM DO SATÉLITE MOSTRA QUE ALÉM DE ANGOLA E A RDC, ZÂMBIA, MOÇAMBIQUE E MADAGASCAR TAMBÉM SOFREM O MESMO FENÔMENO. A ESTIMATIVA, ENTRETANTO, É QUE NOVE DE CADA DEZ INCÊNDIOS NA ÁFRICA NÃO CAUSAM GRANDES DANOS, E SIM MAIS BENEFÍCIOS À COMUNIDADE. TOSI MPANU MPANU, NEGOCIADOR CONGOLÊS NAS CONFERÊNCIAS SOBRE O CLIMA DAS NAÇÕES UNIDAS, DIZ QUE “NA AMAZÔNIA A FLORESTA QUEIMA PRINCIPALMENTE PELA SECA E A MUDANÇA CLIMÁTICA. MAS NA ÁFRICA CENTRAL ISSO SE DEVE ESSENCIALMENTE A TÉCNICAS AGRÍCOLAS”, INFORMA A AFP.

DIANTE DO INCIPIENTE ALARME, O GOVERNO DE ANGOLA QUIS SE MOVIMENTAR PARA ALERTAR SOBRE AS COMPARAÇÕES ENTRE O QUE ACONTECE NO PAÍS AFRICANO E O BRASIL, QUE PODEM CONDUZIR, AFIRMA EM UM COMUNICADO, “A UMA DRAMATIZAÇÃO DA SITUAÇÃO E À DESINFORMAÇÃO DAS MENTES MAIS IMPRUDENTES”. DE ACORDO COM O MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE ANGOLANO SÃO FOGOS QUE OS AGRICULTORES FAZEM TODOS OS ANOS AO FINAL DA ESTAÇÃO SECA. “NESSA ÉPOCA DO ANO E EM NUMEROSAS REGIÕES DE NOSSO PAÍS OCORREM INCÊNDIOS POR PARTE DOS CAMPONESES EM FASE DE PREPARAÇÃO DAS TERRAS PELA PROXIMIDADE DA ESTAÇÃO DAS CHUVAS”, ACRESCENTA O COMUNICADO.

EVIDENTEMENTE, TAMBÉM HÁ RISCOS. MOORE DIZ QUE, DE ACORDO COM OS ESTUDOS MAIS RECENTES, TODOS OS ANOS É QUEIMADA DE 3% A 4% DA SUPERFÍCIE TERRESTRE DO PLANETA. E AINDA QUE A TENDÊNCIA SEJA DECRESCENTE NA ÁFRICA (300 MILHÕES DE HECTARES QUEIMADOS EM 2016 CONTRA 340 MILHÕES EM 2003), SE TRATA DE UM DOS CONTINENTES MAIS AFETADOS. 10% DOS INCÊNDIOS, CALCULA-SE, FOGEM DO CONTROLE E SÃO RESPONSÁVEIS POR 90% DA SUPERFÍCIE QUE QUEIMA. “ESSES SÃO OS QUE CAUSAM A PERDA DE VIDAS, DANOS MATERIAIS E IMPACTO AMBIENTAL. SÃO INCONTROLÁVEIS ATÉ A MUDANÇA DO CLIMA E DAS CONDIÇÕES DO COMBUSTÍVEL QUE OS FAZ ARDER. EM MUITOS PAÍSES DA ÁFRICA A CAPACIDADE DE MANEJO DOS INCÊNDIOS NÃO ESTÁ BEM DESENVOLVIDA”, ACRESCENTA MOORE. NA ORIGEM COSTUMAM ESTAR OS ACIDENTES, FALTA DE COMPREENSÃO DO RISCO, PRÁTICAS RUINS E DESCUIDOS. EM 2016 A SUPERFÍCIE QUEIMADA FOI SEIS VEZES O TAMANHO DE MINAS GERAIS.

OS COLETIVOS DEFENSORES DO MEIO AMBIENTE ALERTAM QUE ESSA TÉCNICA DE LIMPEZA DO TERRENO E QUEIMA PROVOCA UM GRAVE DESMATAMENTO E PERDA DA BIODIVERSIDADE, ASSIM COMO A EROSÃO DA TERRA. O DESMATAMENTO É REAL, AINDA QUE A CAUSA PRINCIPAL NÃO SEJA A QUEIMA E SIM O CORTE. DE ACORDO COM AFIRMAÇÕES DE MPANU MPANU À AFP, “A COBERTURA VEGETAL DA RDC PASSOU DE 67% A 54% DE SEU TERRITÓRIO ENTRE 2003 E 2018”. O PRÓPRIO PRESIDENTE TSHISEKEDI MENCIONOU A PERDA DE ÁRVORES NA BACIA DO RIO CONGO, A SEGUNDA MAIOR MASSA FLORESTAL DO PLANETA, EM SEU DISCURSO DE POSSE. EM UM PAÍS EM QUE SOMENTE 9% DA POPULAÇÃO TEM ACESSO À ELETRICIDADE, A MADEIRA É UMA IMPORTANTE FONTE DE ENERGIA E SE PERMITE O CORTE ARTESANAL, QUE ALGUMAS VEZES ESCONDE OS INTERESSES DE EMPRESAS MADEIREIRAS.

EMISSÕES À ATMOSFERA
OUTRO ASPECTO DOS INCÊNDIOS TEM A VER COM SUAS EMISSÕES DE GASES NOCIVOS À ATMOSFERA. “QUANDO SE USA O FOGO PARA TRANSFORMAR ÁREAS FLORESTAIS EM TERRAS ABERTAS HÁ UMA ADIÇÃO LÍQUIDA DE GASES DE EFEITO ESTUFA À ATMOSFERA. COMBUSTÍVEIS QUE NÃO COSTUMAM SER QUEIMADOS, COMO TURFEIRAS E SELVAS TROPICAIS, CONTRIBUEM DE MANEIRA INTENSA A TAIS EMISSÕES”, DIZ MOORE. QUANDO SE QUEIMA UM TERRENO E A VEGETAÇÃO SE REGENERA COM O TEMPO, ENTRETANTO, ESSAS PLANTAS OS ELIMINAM DA ATMOSFERA À MEDIDA QUE CRESCEM.

A FAO PROPÕE MELHORAR AS HABILIDADES DAS COMUNIDADES NA GESTÃO DE INCÊNDIOS A PARTIR DE SUAS PRÓPRIAS TRADIÇÕES E CONHECIMENTOS, LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO O IMPACTO POSITIVO QUE TEM A MAIORIA DOS FOGOS CONTROLADOS. AO MESMO TEMPO, RECOMENDA MELHORAR SUAS CAPACIDADES PARA A EXTINÇÃO E A COMPREENSÃO DOS RISCOS. “OS INCÊNDIOS FLORESTAIS DANOSOS”, COMO OS ATUAIS DA AMAZÔNIA, “NÃO SÃO UMA EMERGÊNCIA SEM PRECEDENTES. A COMBINAÇÃO DE POLÍTICAS, PLANEJAMENTO E GESTÃO DEFASADAS CRIARAM UM CONTEXTO NO QUAL OS INCÊNDIOS GERAM DANOS E PERDAS”, CONCLUI MOORE.

HTTPS://BRASIL.ELPAIS.COM

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.