Ex-ministra Nilcéa Freire morre aos 66 anos no Rio de Janeiro


A ex-ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Governo Lula, Nilcéa Freire, morreu na noite deste sábado (28) aos 66 anos, vítima de um câncer.

Na Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Nilcéa foi a primeira mulher a ocupar o cargo de reitora em universidade pública do estado, de 2000 a 2004. Na Fundação Ford, colaborou para a viabilidade de ações em favor dos direitos das mulheres, como na resposta à epidemia do vírus zika.

Como ministra ela implementou no país relevantes políticas públicas voltadas às mulheres, como a Lei Maria da Penha, a criação do Ligue 180 (canal de denúncias) e o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres.

Em nota, a direção da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (FENATRAD) lamentou a morte da ex-ministra: “Uma mulher guerreira, que sempre valorizou a categoria das trabalhadoras domésticas e lutou pelo reconhecimento e dignidade do nosso trabalho”.

A representante da ONU Mulheres Brasil, Anastasia Divinskaya, ressaltou que a ex-ministra foi exemplar no exercício de funções públicas:

“Foi uma mulher decisiva em uma série de agendas pelos direitos das mulheres brasileiras em colaboração com as mulheres do mundo. Deixa legado honroso. É uma inspiração para muitas mulheres e meninas no Brasil e no mundo”.

O ex-presidente Lula afirmou, em nota, que Nilcéa Freire foi uma batalhadora incansável pela vida, pela redução das desigualdades e defesa das mulheres do Brasil:

“A generosidade de Nilcéa deixa um legado imenso de aprendizado e conquistas para um Brasil com mais oportunidades para os mais pobres, os negros e as mulheres. Precisamos, cada vez mais, de mais Nilceas. Nesse momento de perda e tristeza, me solidarizo com os familiares, amigos e admiradores dessa grande brasileira”.

Ela deixa dois filhos e três netas.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.