Portal Euclidense: CEMITÉRIO DE EUCLIDES DA CUNHA : NÃO HÁ VAGAS!

INICIO

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

CEMITÉRIO DE EUCLIDES DA CUNHA : NÃO HÁ VAGAS!


O PRINCÍPIO: O Cemitério Municipal Campo Santo de São José teria surgido atrelado a necessidade da construção de uma Igreja que iria substituir a capela existente na comunidade de Cumbe, atual Euclides da Cunha. Esta carência à comunidade da época, mais precisamente no ano de 1880, foi observada pelo então Capitão de Polícia da Guarda Nacional José Higino dos Santos Lobo, um hábil político de grande liderança na região, que conduziu o surgimento e fundação do Povoado de Cumbe, inclusive na construção das dez primeiras casas onde hoje é a Rua da Igreja.
Desbravador, o Capitão Higino Lobo iniciou na festa da Padroeira uma campanha para arrecadar recursos para construção da Igreja, com uma alvorada em 8 de dezembro de 1880, numa quarta-feira, e que foi realizada uma missa pelo oficiante Padre Vicente Sabino.
Após arrecadação do dinheiro, o Conselheiro Francisco de Massacará, indicou um pedreiro que residia em Vila de Floresta, Pernambuco, e junto com o pedreiro Cassiano e carpinteiros e voluntários deu início a edificação da Igreja e consequentemente no levantamento das paredes do cemitério ao qual deu o nome de Campo Santo de São José.

ATUALMENTE: A realidade atual do Cemitério destoa do crescimento populacional euclidense, considerando a estimativa de 2019 com 60.585 habitantes. São aproximadamente 140 anos de existência, sendo o único no município de Euclides da Cunha.
Passadas gestões municipais, o cemitério sofreu algumas intervenções, sendo a última ainda no primeiro mandato na gestão da ex-Prefeita Fátima Nunes que fez várias interferências e melhorias, principalmente na sua ampliação.
Ocorre que, são mais de seis anos sem mais nenhuma intervenção e a atual gestão municipal, mesmo após três anos de governo, não disponibilizou nenhuma ação para evitar o caos e o absurdo de familiares não poderem sepultar sues entes querido em virtude da falta de vagas.

No ano de 2019, o vereador João Crente apresentou indicação na Câmara de Vereadores de Euclides da Cunha para que fosse ampliado o cemitério, entretanto não logrou êxito em virtude da inexistência do respaldo de alguns colegas parlamentares e nem tão pouco teve a atenção do Executivo, através do Prefeito Municipal Luciano Pinheiro.
Em reportagem a TV EUCLIDES, testemunhos comprovam que alguns sepultamentos foram feitos em cemitérios de povoados próximos a sede municipal e até em outras cidades vizinhas por não encontrarem vagas.

Outro fato importante a se destacar é que o funcionário responsável pelo cemitério, que tem 30 anos de serviços prestados, tem se desdobrado para tentar amenizar o problema, entretanto sem sucesso, haja vista que realmente não ter vaga alguma para sepultamentos.
Inclusive, após persistentes reclamações da comunidade e da imprensa através do programa Rota da Notícia pela Euclides da Cunha FM, o Prefeito chegou a declarar em uma entrevista que estaria iniciando o procedimento licitatório para proceder na interferência necessária para atender a demanda do Cemitério Campo Santo de São José.
De certa forma, o site RotaDaNotícia.Com estará na contínua cobrança para que em caráter de urgência a gestão municipal se sensibilize e cumpra com suas obrigações para impedir que familiares sofram ainda mais com o doloroso momento de sepultar seu familiar.

ROTADANOTICIA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário