Irã admite que derrubou avião ucraniano por engano; presidente diz que tragédia é 'imperdoável'


O Irã informou nesta sábado (11.jan.2020) que derrubou por engano o avião ucraniano que caiu na 4ª feira (8.jan.2020) em Teerã, capital iraniana, com 176 pessoas a bordo. A admissão foi feita por comunicado na TV Estatal iraniana.

O presidente do país, Hassan Rouhani, se manifestou pelo Twitter e classificou o fato como “grande tragédia e erro imperdoável”. Também assumiu que a aeronave foi atingida por mísseis disparados pelas Forças Armadas do país por meio de “erro humano”.
O voo 752, da Ukraine International Airlines tinha como destino o Aeroporto Internacional Boryspil, em Kiev, na Ucrânia. Segundo o governo ucraniano, entre as vítimas estão: 82 iranianos; 63 canadenses; 11 ucranianos; 10 suecos; 4 afegãos; 3 alemães e 3 britânicos.
Ainda ontem, as autoridades iranianas descartavam a possibilidade de o avião ter sido derrubado por mísseis. A hipótese já havia sido apontada por Estados Unidos, Canadá e Reino Unido.

TENSÃO COM OS EUA

O avião de passageiros ucraniano caiu poucas horas depois de o Irã lançar mísseis contra duas bases usadas por tropas americanas no Iraque, numa operação em retaliação pela morte do general iraniano Qassim Soleimani.
Um vídeo divulgado na 5ª feira (9.jan.2020) pelo The New York Times mostra o que, neste sábado (11.jan.2020), confirmou-se ser 1 míssil atingindo 1 avião perto do aeroporto de Teerã.
A relação entre os 2 fatos, porém, não foi confirmada.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.