Coronavírus hoje: Brasil chega a 445 mortes e 10.361 casos confirmados, dizem Estados

Coronavírus hoje: Brasil chega a 445 mortes e 10.361 casos confirmados, dizem Estados

Em seu balanço mais recente, no sábado, Ministério da Saúde contabilizou 432 mortes e 10.278 casos de contaminação pelo novo coronavírus


As secretarias estaduais de Saúde divulgaram até a noite de sábado (4) 10.361 casos confirmados do novo coronavírus no Brasil e um total de 445 mortes.

No sábado, em seu boletim mais recente, o Ministério da Saúde totalizou 73 novas mortes entre sexta-feira e sábado e um total de 432, além de 10.278 casos confirmados da doença. A região Sudeste concentra 61,2% dos casos.

Isso significa uma taxa de letalidade de 4,2% no país e de 5,2% no Sudeste. Segundo a OMS, a média na China e no mundo ficou entre 2% e 3%, o que pode sinalizar para uma subnotificação de casos no Brasil, ao encontro da falta de insumos para testes e dos relatos de especialistas.

Um relatório do ministério sinaliza que Distrito Federal, São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro e Amazonas podem estar em transição para uma fase de aceleração descontrolada da pandemia.

O Distrito Federal registrou 22 novos casos, somando 658. Na sexta (3), o ministro da saúde, Henrique Mandetta, demonstrou preocupação com o estado e disse que o DF é "o primeiro [colocado], com número bem maior inclusive que São Paulo nessa relação de número de casos confirmados pela população."

Doações

Neste sábado, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, anunciou uma campanha da pasta para receber doações e agradeceu as colaborações já recebidas.

Segundo ele, interessados devem escrever para o e-mail juntoscontracovid19@saude.gov.br e serão atendidos por servidores que analisam e recebem doações ao ministério.

Mandetta em "lives"

Ausente da coletiva de imprensa neste sábado, Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, participou da transmissão ao vivo da dupla sertaneja Jorge e Mateus, feita no YouTube na noite de ontem.

Ele apareceu em um vídeo gravado, no qual afirma que "é importante que a música chegue, mas que a gente não se aglutine". Disse ainda que as pessoas precisam se proteger e que o sistema de saúde precisa se preparar, "para que, no momento certo, a gente possa se abraçar".

A “live” de Jorge e Mateus chegou a ser vista simultaneamente por 3 milhões de usuários da rede.

Antes, Mandetta também havia participado da transmissão do cantor Xand Avião, com a mesma mensagem.

Mundo

O número de casos da covid-19 em todo o mundo aumentou para 1,22 milhão no domingo, enquanto o número de casos nos Estados Unidos ultrapassou 300 mil, de acordo com dados agregados dos Centros de Ciência e Engenharia de Sistemas da Johns Hopkins Whiting School of Engineering. Atualmente, existem 65.711 mortes em todo o mundo com o novo coronavírus que afetou 182 países, mostram os dados.

Cerca de 252.538 pessoas se recuperaram. Os EUA ainda têm o maior número de casos no mundo, com 312.249 e pelo menos 8.503 mortes. Outras 15.021 pessoas se recuperaram.

Na Europa, a Espanha tem 130.759 casos e 12.418 mortes. A Itália tem 124.632 casos e 15.362 fatalidades, sendo a mais alta do mundo. A Alemanha tem o quarto maior número, com 96.108 casos, mas apenas 1.446 mortes. A França tem 90.853 casos e 7.574 mortes.

A China, onde o vírus foi notificado pela primeira vez no final do ano passado, tem 82.602 casos e 3.333 mortes. O Irã, outro local com número elevado de casos, tem 58.226 casos e 3.603 mortes.

EUA começam semanas "críticas"

Os Estados Unidos entram em uma das semanas mais críticas na crise do coronavírus, com mais de 321 mil pessoas com casos positivos e mais de 9.100 mortes no país, segundo um relatório da agência Reuters. Com o número de mortes crescendo em Nova York, Michigan e Louisiana e governadores reivindicando uma ordem nacional para que as pessoas fiquem em casa.

Nova York, o Estado mais atingido, informou no domingo que houve quase 600 novas mortes, num total de 4.159 mortes e 122 mil casos confirmados no total. Os corpos das vítimas da covid-19 foram empilhados em sacos dentro de um necrotério improvisado do lado de fora do Wyckoff Heights Medical Center, no Brooklyn, de acordo com fotos fornecidas à agência Reuters.

O cirurgião-geral dos EUA Jerome Adams alertou na Fox News no domingo que tempos difíceis estão por vir, mas "há uma luz no fim do túnel se todos fizerem sua parte pelos próximos 30 dias". "Esta será a semana mais difícil e mais triste da vida da maioria dos americanos, francamente. Este será o nosso momento de Pearl Harbor, o momento do 11 de setembro, mas não será localizado", disse Adams. "Isso vai acontecer em todo o país. E eu quero que a América entenda isso".

Lugares como Pensilvânia, Colorado e Washington, DC, estão começando a ver mortes crescentes, informou a agência Reuters. A força-tarefa de coronavírus da Casa Branca alertou que não é hora de ir ao supermercado ou a outros locais públicos. A maioria dos estados ordenou que os moradores ficassem em casa, exceto em viagens essenciais para retardar a propagação do vírus nos Estados Unidos.

No entanto, algumas igrejas estavam realizando grandes reuniões no Domingo de Ramos, o início da Semana Santa nas igrejas cristãs. "Estamos desafiando as regras porque o mandamento de Deus é espalhar o Evangelho", disse Tony Spell, pastor da mega-igreja Life Tabernacle, em um subúrbio de Baton Rouge, Louisiana.

Os especialistas médicos da Casa Branca previram que entre 100 mil e 240 mil americanos poderiam morrer na pandemia, mesmo que as ordens de ficar em casa sejam seguidas. O presidente Donald Trump alertou no sábado que havia dias "muito horríveis" pela frente.

Nova York

O número de mortos no Estado de Nova York subiu para 3.565 neste sábado (4), após registrar 630 óbitos nas últimas 24 horas , novo recorde desde o início da pandemia, informou o governador, Andrew Cuomo. O Estado concentra o maior número de casos nos Estados Unidos.

Com isso, são 113.704 casos confirmados no Estado, sendo 63.306 deles somente na cidade de Nova York. Segundo Cuomo, o pico da epidemia ainda não foi atingido, mas está próximo.

Ontem, Cuomo disse que 14 mil pacientes estão internados nos hospitais do Estado, que está ficando sem respiradores para atender ao crescente número de casos com sintomas graves. A previsão é que o estoque acabe em até seis dias.

O governador de NY afirmou que assinará uma ordem executiva para que a Guarda Nacional possa confiscar respiradores e equipamentos de proteção individual, como máscaras e jalecos, de clínicas particulares que não estejam utilizando esse material.

Cuomo disse ainda que acredita ser necessário fazer testes rápidos em massa para que seja alcançado um "retorno à normalidade" depois que o pico da nova crise de coronavírus passar nos Estados Unidos nas próximas semanas e meses. Cuomo, cujo estado é o epicentro do surto nos Estados Unidos, disse que Nova York faz parte de um esforço para desenvolver um programa que identificasse pessoas negativas e não em uma categoria vulnerável, permitindo que voltassem ao trabalho.

Os comentários de Cuomo vêm em meio a controvérsias sobre as duas mensagens do presidente Donald Trump, que alertaram sobre grandes mortes nas próximas semanas, enquanto também conversavam sobre a necessidade de os americanos voltarem ao trabalho e manterem a economia em funcionamento.

Embora a capacidade de teste tenha aumentado nas últimas semanas, os Estados Unidos ficaram muito atrás de outros países industrializados nos testes de coronavírus que as autoridades de saúde pública acreditam ser crucial para ganhar algum controle sobre sua disseminação.

Canadá

O número de pessoas mortas pelo coronavírus no Canadá subiu 20,5%, para 258 pessoas em um dia, disseram autoridades no domingo. Às 11h05 (horário de Brasília), o número total de diagnosticados com coronavírus aumentou quase 12%, para 14.426, informou a agência de saúde pública. Os números respectivos no sábado foram 214 mortes e 12.924 diagnósticos positivos.

O surto parece levar a economia à recessão e o governo liberal do primeiro-ministro Justin Trudeau já anunciou medidas de estímulo no total de 105 bilhões de dólares canadenses (US$ 74 bilhões) em gastos diretos, ou 5% do produto interno bruto.

Trudeau disse que seu governo estava entrando em contato com reservistas de todo o país para lhes oferecer empregos em período integral nos próximos meses. "Reforçar as fileiras dos militares ajudará a compensar algumas das consequências econômicas da covid-19 e garantirá que nossas comunidades sejam bem apoiadas", disse ele em uma entrevista diária. O Canadá tem cerca de 31 mil reservistas, a maioria dos quais serve uma noite por semana e um fim de semana por mês. Há pouco mais de 67 mil membros em tempo integral das forças armadas.

Espanha

A Espanha reportou neste sábado 809 mortes por coronavírus. É o segundo dia consecutivo de redução nos balanços diários de óbitos, após os 932 registros de vítimas fatais na sexta-feira e dos 950 na quinta.

Até agora, no total, segundo o Ministério da Saúde do país, 11.744 pessoas morreram por coronavírus na Espanha, o segundo país do mundo com maior número de óbitos depois da Itália.

Até o momento, foram diagnosticados 124.736 casos de covid-19. Foram 7.026 novos casos reportados nas últimas 24 horas

Alemanha

A Alemanha registra neste domingo (5) 91.714 casos de covid-19, mais 5.936 que na véspera, e 1.342 mortes, um crescimento de 184. O número de novos infectados caiu, mas o de mortes subiu. Ontem, o Instituto Robert Koch (RKI) tinha informado a existência de 6.082 novos casos e mais 141 mortes em relação ao dia anterior.

A entidade responsável pela prevenção e controle de doenças mostra ainda que a Baviera, com 23.846 casos diagnosticados, e a Renânia do Norte-Vestfália, com 18.735, os maiores e mais populosos Estados da Alemanha, são os que registram mais casos. As informações são da RTP, emissora pública de televisão de Portugal.

Em entrevista concedida ao Bild am Sonntag, o líder do governo bávaro, Markus Söder, pede um pacote de estímulos à economia de grandes proporções e cortes nos impostos em todo o país.

"Quando a primeira fase da ajuda de emergência terminar, vamos precisar de um programa vital de estímulo econômico de tamanho semelhante", afirmou o também líder da União Social Cristã (CSU), partido que integra a coligação que governa a Alemanha.

Na sexta-feira, o RKI admitiu que as medidas de contenção no país têm um efeito mensurável, mas que ainda é muito cedo para baixar a guarda. Segundo o instituto, nas últimas semanas, cada pessoa contaminava outras cinco a sete. Com as restrições e o distanciamento social, a média caiu.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já infectou cerca de 1,2 milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 63 mil. Dos casos de infecção, cerca de 220 mil são considerados curados. Depois de surgir na China em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar situação de pandemia.

Reino Unido

O Reino Unido registrou neste sábado 708 mortes em decorrência do coronavírus. é a primeira vez que o balanço diário de óbitos registra mais de 700 vítimas fatais em um dia.

Com isso, o total de mortos chega a 4.313, segundo as autoridades de saúde. Este é o quinto recorde de mortes no Reino Unido.

Em entrevista à “Sky News”, o ministro de Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, disse acreditar que o país atingirá o pico de mortes perto da Páscoa. Até o momento, o governo britânico diz que pode rever as medidas restritivas aplicadas à população após o feriado.

A rainha Elizabeth II fará neste domingo um pronunciamento a todo país para falar sobre a pandemia.

Cingapura

O governo de Cingapura anunciou nesta sexta-feira que fechará escolas e que permitirá que apenas serviços essenciais sigam operando, em uma guinada na estratégia de combate à pandemia do novo coronavírus, segundo o jornal "Nikkei Asian Review".

As autoridades evitaram o termo “quarentena” ao anunciar as medidas, mas as restrições à atividade econômica não essencial são similares às adotadas por países como Itália e Espanha.

A partir da próxima terça-feira, apenas serviços como supermercados, hospitais e o sistema de transportes, poderão funcionar. Escolas e universidades fecham no dia seguinte, adotando aulas virtuais.

As medidas representam uma guinada na estratégia de Cingapura. Até então, as autoridades tinham fechado as fronteiras e adotado uma campanha de conscientização para que a população ficasse em isolamento. A ideia era evitar atrapalhar a atividade econômica o máximo possível. Leia mais.

Japão

O governo japonês apertou na sexta-feira (3) as restrições de entrada no país, em mais uma tentativa de combater a pandemia do novo coronavírus. O governo apelou a todas as pessoas, procedentes de quaisquer partes do mundo, que se imponham uma quarentena de duas semanas em casa, hotel ou em qualquer outro lugar. As medidas vão vigorar até o fim deste mês de abril.

O governo está também aumentando para 73 a lista de países e territórios sujeitos à recusa de entrada. Agora, está negando a entrada a cidadãos estrangeiros que visitaram alguns desses lugares duas semanas antes da chegada ao Japão.

Em outra frente, o país anunciou que o medicamento para gripe Avigan será disponibilizado gratuitamente aos países que o solicitarem para o tratamento do novo coronavírus, anunciou o governo japonês na sexta-feira, segundo notícia da agência "Nikkei Asian Review".

O Valor Investe apurou junto ao Ministério da Saúde que o governo brasileiro ainda não tem conhecimento sobre se o Brasil já pediu para receber o medicamento, ou se considera fazê-lo. Leia mais.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.