Portal Euclidense: Hoje, comemora-se a data natalícia do saudoso José Dilson Pinheiro

INICIO

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Hoje, comemora-se a data natalícia do saudoso José Dilson Pinheiro


José Dilson Pinheiro, foi repórter Âncora do portal de Notícias Euclidesdacunha.com e completaria nesse 23 de abril, 70 anos.


Hoje comemora-se o dia em que sua estrela iluminou a terra pela primeira vez, quando sua ascensão em passos repletos de generosidade e gentileza seguiram enveredando pelo sertão nordestino com seu coração ímpar.
Se pudéssemos escolher uma única palavra, que mostrasse como ele abraçava a equipe de colaboradores (fotógrafos, redatores, colunistas e o setor administrativo) do portal de notícias Euclidesdacunha.com, escolheríamos: Mansuetude, palavra tal que mensura o significado – Característica do que é manso, que possui o gênio brando; que é suave e pacífico; de temperamento fácil; meiguice. Falta de agitação, sem pressa; desprovido de inquietação. “Zé Dilson”, com a calma, silêncio e habilidade de um gato esguio atravessando um muro alto, construiu sua vida profissional, sempre magnífico e pleno. Poucos possuem o dom do olhar fotográfico, ele, além desse dom também tinha a memória geográfica, política, econômica, poética e cultural, conhecia todas as pessoas pelo nome e sobrenome, e, levou para tantos os seus escritos sobre o “Cumbe do Major” e região, registrando festejos tradicionais, futebol, eventos importantes, acontecimentos trágicos e outros de importância inenarrável. Tantas fotografias, documentários, reportagens, ações que construíram uma herança imaterial tão profunda e esplendorosa.
Há uma saudade hasteada sob o 23 de abril, sentimos a dor do silêncio no espaço físico onde costumávamos partilhar o correr das horas na sua presença, ficou a mesa vazia e a sua cadeira que ninguém jamais ocupou, o teclado do computador endurecido não reverbera aquele som do nascimento das reportagens pomposas e dos seus contos extraordinários. A memória arde, como se fosse tangível ouvir o timbre da sua voz, macia e única, o cotidiano tem o hábito da sua espera, quanto tempo é “até logo”? A sensação da sua chegada ainda nos afeta, pois disseste que voltaria. Como gostaríamos de te parabenizar, desejar feliz aniversário, comemorar e aplaudir enquanto fossem sopradas as velas brindando a nova idade, e falar mais depois de já ter falado da sua história, da sua brilhante carreira, do “paizão” que ensinava há tantos… A vida foi tão generosa, apesar de tantos pesos, que nessa data precisamos agradecer por ter sido o grandioso mestre “Zé Dilson”. O escritor de Grande Sertão: Veredas, Guimarães Rosa, arranjou essas palavras – As pessoas não morrem, ficam encantadas. Atravessamos o tempo do seu encantamento, Zé Dilson, carregamos as imagens em preto e branco de tantos momentos, a cinza das horas perdidas e encontradas, mas ainda não obtivemos a resposta para a pergunta: quanto tempo é “Até logo”?
Nosso muito querido, o desejo é que tenhamos aqui uma homenagem singela onde estejam escritas as diversas formas de agradecimento, mas não encontramos maneira de agradecer sem permitir que o peito afunde de forma disforme em direção à coluna vertebral onde a força da saudade esmaga o coração, os pulmões e todos os órgãos que ficam dentro da caixa torácica, dói esse nó que se aperta dentro da garganta e uma água salgada formando ondas nos olhos que nunca mais te olharam, e, as palavras arrastam-se intermináveis na convulsão de uma tentativa de dizer alguma coisa que sirva de alimento para as pessoas, que como nós te vestem de deslumbramento para passear pelos salões cheios de eco, prêmios e essas gavetas intermináveis onde estão arquivados cada gesto e cada caminho realizado pelas suas hábeis mãos.

José Dilson Pinheiro, foi filho, irmão, tio, marido, pai, avô, foi radialista, vereador do município de Quijingue – BA, trabalhou em muitas empresas, atreveu-se como cantor e gravou algumas canções, grande incentivador do movimento do forró pé de serra e o todo movimento cultural regional. Sempre será o genial repórter âncora do site portal de notícias Euclidesdacunha.com e agora é uma saudade intermitente dentro de nós, o seu legado honroso e exímio estará permanente em cada trabalho realizado por nós.
– Com todo afeto e respeito, essas são as palavras de toda a equipe do Euclidesdacunha.com ao saudoso José Dilson Pinheiro.
Fotos: Arquivo/Euclidesdacunha.com
Por: Equipe do Site Euclidesdacunha.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário