É falso que número total de mortes no país diminuiu durante pandemia de Covid-19


Circula nas redes sociais uma publicação do site Brasil sem Medo que diz que informações obtidas no Portal da Transparência do Registro Civil indicam que o “coronavírus não aumentou em nada o número de mortes por causa respiratória no Brasil”. O texto compara de diferentes formas os óbitos registrados por doenças respiratórias entre 2019 e 2020 e afirma que não houve um aumento do número de vítimas de um ano para o outro. Confira o trabalho de verificação da Lupa:
“Enquanto entre os dias 1° de março e 4 de maio do ano passado tivemos 84.260 mortes por causas respiratórias; No mesmo espaço de tempo, neste ano, houve 77.545 falecimentos. São 6.715 mortes a menos por causa respiratória”
Trecho de texto publicado pelo site Brasil sem Medo sob o título “A pandemia que não aumenta o número de mortos” que, até as 19h do dia 12 de maio, tinha sido compartilhado por 1,2 mil pessoas. 

FALSO
A informação analisada pela Lupa é falsa. Os números do Portal da Transparência do Registro Civil não são atualizados em tempo real. Portanto, não é possível comparar, ainda, os dois períodos citados – uma vez que diversas mortes ocorridas em 2020 ainda não foram computadas no sistema.
Mesmo considerando isso, os números citados no conteúdo estão desatualizados. De acordo com o Portal da Transparência do Registro Civil 91.926 mortes por causas respiratórias, incluindo Covid-19, haviam sido registradas entre os dias 1º de março e 4 de maio de 2020, ou seja, 7.186 mortes a mais, e não 6.715 mortes a menos. O número de mortes em 2019 também está errado: foram 84.740, 480  a mais do que o informado. Os dados foram visualizados pela reportagem no dia 12 de maio, às 18h30.
Mesmo que se subtraia as mortes identificadas por coronavírus e se considere apenas as causas informadas em 2019, o número de mortes em 2020 ainda seria maior do que o informado no texto: 81.359 e não 77.545.
Esses números não são finais. De acordo com os prazos estabelecidos pelo Poder Judiciário, o tempo de duração entre a ocorrência da morte e a inclusão dessa ocorrência na base de dados pode levar até 14 dias. 
Em nota, a assessoria de imprensa da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) explicou que as famílias têm 24h para informar a ocorrência do óbito (podendo chegar a até 15 dias em casos excepcionais). Os Cartórios de Registro Civil podem levar até cinco dias para o registro nos dados oficiais e oito para informar a Central Nacional de Informações do Registro Civil, que atualiza a plataforma. Ou seja, é provável que um número significativo de óbitos ocorridos no final de abril e no início de maio ainda não tenha sido incluído na plataforma.
Desde o início da pandemia de Covid-19, o Registro Civil disponibiliza uma aba em seu Portal da Transparência, intitulada Painel COVID Registral, em que é possível comparar informações sobre mortes por causas respiratórias nos anos de 2020 e 2019. Esses dados estão separados em sete categorias: Covid-19, Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), pneumonia, insuficiência respiratória, septicemia, não informada e demais óbitos (exceto mortes violentas, que não estão disponíveis no portal).
Lupa já verificou outras informações falsas com base em interpretações equivocadas deste mesmo portal, veja aqui e aqui.

“De março a maio de 2019 foram 107.539 mortes não atribuídas a causas respiratórias; No mesmo período de 2020, tivemos 89.601; A diferença é 17.938 óbitos”
Trecho de texto publicado pelo site Brasil sem Medo sob o título “A pandemia que não aumenta o número de mortos” que, até as 19h do dia 12 de maio, tinha sido compartilhado por 1,2 mil pessoas 

FALSO
A informação analisada pela Lupa é falsa. Segundo a atualização mais recente do portal, no período de 1º de março e 4 de maio de 2019, 108.086 pessoas morreram por demais causas, que excluem os óbitos por problemas respiratórios e as mortes violentas, como os assassinatos. Em 2020, foram 104.026, a diferença é de 4.060 óbitos neste período.
Como explicado acima, o portal não é atualizado em tempo real, e um óbito pode demorar até 14 dias, sem contar casos excepcionais. Esse número menor de mortes por outras causas, que não são afetadas pela epidemia, em 2020 é um sinal de que muitas mortes, de todos os tipos, ainda não foram incluídas no sistema – e não que elas, misteriosamente, diminuíram.
Embora isso tenha sido ignorado pelos autores do texto, o próprio portal permite a visualização de casos dia a dia. Nesse formato de visualização, esse efeito fica mais claro. No dia 1º de março de 2020 foram 1.594 mortes por outras causas – ou seja, excluindo problemas respiratórios e causas indeterminadas. Como essas causas não são diretamente afetadas pela pandemia de Covid-19, esse número ficou relativamente estável até o dia 27 de abril, oscilando entre 1.517 e 1.761.
A partir do dia 28, ou seja, há 14 dias, o número de mortes diárias por outras causas começa a cair, chegando a 1.140 em 4 de maio, último dia do período citado no conteúdo. Indo além, esse número continua caindo até apenas 87 óbitos no dia 11, última data com dados disponíveis. Isso não significa que apenas 87 pessoas morreram nesta segunda-feira de outras causas, e sim que a imensa maioria das mortes ainda não foi incluída no sistema.

“Se analisarmos o caso da cidade de São Paulo, epicentro da epidemia no Brasil, teremos o seguinte quadro: Entre março e maio de 2019 registraram-se 7106 mortes por causas respiratórias no município; Neste período de 2020, computaram-se 8185 mortes pelas mesmas causas. A diferença é de pouco mais de mil mortos”
Trecho de texto publicado pelo site Brasil sem Medo sob o título “A pandemia que não aumenta o número de mortos” que, até as 19 do dia 12 de maio, tinha sido compartilhado por 1,2 mil pessoas  

FALSO
A informação analisada pela Lupa é falsa. Segundo a atualização mais recente do portal, o número de óbitos de 2019 para o período de 1º de março a 4 de maio está correto: foram registrados 7.106 casos de mortes por problemas respiratórios no município de São Paulo. Contudo, em 2020, foram 9.687 óbitos, 1.502 a mais que o informado. Desses, 2.260 são apenas por complicações causadas pelo coronavírus. Pelas razões explicadas acima, esse número deve crescer nos próximos dias.

“Analisando os números do país em 2019, temos que a soma de mortes por Pneumonia (36.732), Insuficiência Respiratória (16.568) e SRAGS (228), todas confundíveis com a Covid-19, resulta em: 53.528. Agora, a mesma soma em 2020, Pneumonia (29.459), Insuficiência Respiratória (14.147) e SARGS (2.392), nos dá: 45.998.  Ou seja, de um ano para o outro, a diferença entre mortos por causas respiratórias cujos sintomas são semelhantes com os da Covid-19 é: 7.530. Basicamente o número de óbitos atribuídos ao coronavírus (6.932)”
Trecho de texto publicado pelo site Brasil sem Medo sob o título “A pandemia que não aumenta o número de mortos” que, até as 19 do dia 12 de maio, tinha sido compartilhado por 1,2 mil pessoas  

FALSO
A informação analisada pela Lupa é falsa. Segundo a atualização mais recente do portal, o valor real da soma destes casos para 2020 é de 53.491 óbitos, 7.493 a mais que o apresentado na publicação. Isto quer dizer que a diferença real de um ano para outro, de 384, não se assemelha ao número de mortos por Covid-19 – 10.567, e não 6.932. O número citado para 2019 também está ligeiramente incorreto. 53.875 morreram pelas causas citadas, e não 53.528
Em 2020 foram 3.645 óbitos a mais do que o informado, totalizando 10.567 óbitos por coronavírus registrados até agora neste período. Como explicado acima, este número pode ainda ser alterado de acordo com a atualização das bases oficiais.
Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.
Editado por: Chico Marés

LUPA

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.