Portal Euclidense: O apito de cachorro

INICIO

domingo, 31 de maio de 2020

O apito de cachorro

Você já deve imaginar o que seja o apito de cachorro. É sim um apito. Mas não é o cachorro que o assopra. É um ser humano. Esse apito tem um som que só os cachorros ouvem, só eles entendem e sabe o que significa.

Quando uma pessoa fala uma coisa em público e que apenas um grupo entende, seja um recado, uma manifestação pública ou um alerta, a gente chama isso de apito de cachorro, pois só um grupo entende. Tipo uma senha, entende, né?

Um exemplo disso é quando ouvimos a frase “Guerra às Drogas”, nós entendemos que é uma ação pública contra os traficantes, que vai acabar com essa mazela que destrói parte de nossa juventude. Mas se você fizer parte de um grupo seleto, vai entender que é uma ordem para matar negro, pobre e favelado.

Outro bom exemplo de apito de cachorro é a frase: “Cidadão de bem”. Imaginamos que a pessoa se refira a muita -gente como eu e você -. Mas não, ele se refere ao homem, hétero, branco, empresário, pai de família e cristão de direita. (Caso você esteja inserido nesse contexto, sim, a frase é para você). “Armar o cidadão de bem”,“Defender o cidadão de bem” essas coisas...

O último apito de cachorro que vimos foi o presidente tomando leite em uma live. Oras o que tem a ver? Bem, se você não faz parte de um grupo racista e que acredita na superioridade da raça branca, talvez não tenha ouvido esse apito.

Na década de 1920, um panfleto do Conselho Nacional de Laticínios dos EUA explicou: “As pessoas que têm usado quantidades liberais de leite e seus produtos …” – significando pessoas brancas – “… são progressivas na ciência e em todas as atividades do intelecto humano”.

“...Um olhar casual sobre as raças das pessoas parece mostrar que aqueles que usam muito leite são os mais fortes mental e fisicamente, e os mais duradouros do mundo. De todas as raças, os arianos parecem ter sido os bebedores mais pesados de leite e os maiores usuários de manteiga e queijo, um fato que pode em parte explicar o rápido e alto desenvolvimento dessa divisão de seres humanos.”  ( História da Agricultura do Estado de Nova York, de 1933).

Os defensores da Supremacia branca fazem eventos onde tomam garrafões de leite enquanto gritam “Morte aos Negros”. Os racistas colocam como símbolo um copo de leite em seus perfis no twitter, facebook, instagran etc.

Pode ser que o próprio Bolsonaro não ouça esse apito, ou até mesmo quem estava na live com ele. Mas, sabemos, no meio de tanta gente racista, misógina, homofóbica e tal, tem gente que sabe, e que até pode ter usado o presidente para enviar um recado: “que estão lá...”

O recado foi dado, os cachorros ouviram o apito. O racismo continua matando muitos pelo mundo está vivo, está no poder. “Olha, estamos aqui, nós representamos vocês... fiquem firmes”, foi essa a mensagem, que você não ouviu.

Por conta de uma política de tentativa de aniquilação da raça negra não podemos deixar que essas coisas passem desapercebidas.

Bolsonaro e seus fiéis e apaixonados adoradores poderão até dizer que não. Que é exagero, teoria da conspiração etc.

Mas por João Pedro, menino assassinado pela polícia, João Vitor, jovem assassinado pela polícia, George Floyd assassinado pela polícia e por tantos outros que tombaram, não podemos nos calar e achar que tudo que se faz é mera coincidência.

Ou você acha que o vídeo e a fala nazista do Roberto Alvim (ex-secretário de cultura do Brasil) era apenas uma coincidência?

Pelo fato de você não ouvir o apito de cachorro não diga que ele não existe, não diga que não avisamos...

 Petrolina, 31.05.2020

 David Souza


Nenhum comentário:

Postar um comentário