Portal Euclidense: O novo desastre na restauração de uma obra de arte histórica na Espanha

INICIO

quarta-feira, 24 de junho de 2020

O novo desastre na restauração de uma obra de arte histórica na Espanha

Colecionador pagou 1.200 euros pelo trabalho de 'restauração'

Um colecionador de arte da Espanha ficou surpreso com a restauração mal feita de uma pintura do artista barroco Bartolomé Esteban Murillo.

O colecionador, que é de Valência, pagou 1.200 euros para que o quadro fosse limpo por um restaurador de móveis, segundo o site de notícias espanhol Europa Press.

Mas, apesar de duas tentativas de consertá-lo, o quadro da Imaculada Conceição ficou irreconhecível.

Ecce Homo original, deteriorado pela passagem do tempo e 'restaurado'

© Centro de Estudios Borjanos Ecce Homo original, deteriorado pela passagem do tempo e 'restaurado'
O incidente fez surgirem comparações com outras "restaurações" recentes na Espanha.Em 2012, uma senhora tentou restaurar um afresco de Jesus Cristo em sua igreja local, que fica perto de Zaragoza. Ela tinha boas intenções, mas nenhum conhecimento técnico em restauração.No ano passado, uma estátua de São Jorge do século 16 que fica em uma igreja em Navarra também chamou a atenção do público após um trabalho de restauração. Alguns compararam seu novo visual a uma figura da Playmobil.Atualmente, não há lei na Espanha que proíba as pessoas de restaurar obras de arte, mesmo que o façam sem as habilidades necessárias.

Escultura de São Jorge antes e depois da restauração; objetivo era apenas 'arrumar um pedaço que estava sujo'

© ArtUs Restauración Patrimonio Escultura de São Jorge antes e depois da restauração; objetivo era apenas 'arrumar um pedaço que estava sujo'
Em comunicado, a Associação Profissional de Restauradores e Conservadores do país (Acre) condenou a falta de proteções legais e chamou o incidente recente de um ato de "vandalismo"."Essa falta de regulamentação se traduz na falta de proteção de nossa herança", afirmou a Acre."Nos últimos anos, os profissionais de restauração e conservação foram forçados a emigrar ou deixar suas profissões devido à falta de oportunidades", acrescentou, alertando que o setor corre "sério risco de desaparecer" na Espanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário