FASCISMO, O QUE É, DE ONDE VEIO E PARA ONDE VAI (PARTE II)

Onze sinais do fascismo, segundo Umberto Eco - Outras Palavras

(Um ensaio para você poder falar sobre o assunto sem passar vergonha e identificar se ou outro ou se você é o fascista.)

Olá criançada que gosta de aprender, vamos terminar hoje nossa aula sobre fascismo, sob a ótica do Umberto Eco, o maior especialista no assunto.

Na semana passada vimos 07 dos 14 pontos levantados por ele e que resume parte do pensamento e da análise sore o fascismo (O Culto à Tradição, Rejeição ao modernismo, O Culto à ação pela ação, Discordância é Traição, Medo das diferenças, Apelo à frustração Social, A Obsessão por um enredo) você pode ver clicando aqui.

Hoje vamos falar dos outros sete pontos, preparados?

1. O inimigo é ao mesmo tempo forte e fraco.  O fascista fala da força de um inimigo (geralmente ele cria esse inimigo de forma unilateral, nem sempre é um inimigo, mas se ele diz que é, tem que ser, queira ou não... Então esse inimigo é muito forte, mas ao mesmo tempo é fraco, essa oscilação é muito fácil de se ver.

2. Pacifismoé se confraternizar com o inimigo. Para o Fascismo Eterno, não existe a luta pela vida: em vez disso, a vida é vivida para lutar. Quando percebe que vencer pelo argumento lógico não conseguirá nunca, parte para a agressão (seja verbal ou física). Então caso não seja possível ele se faz de amigo, até esperar a oportunidade de dar a primeira facada.

3. Desprezo pelos fracos. Elitismo é um aspecto típico de qualquer ideologia reacionária. O pobre, o favelado, o preto é uma ameaça e ao mesmo tempo não é nada, para o fascista. Por isso ele precisa estar sempre à frente, acima. Por isso o fascista está sempre em grupo ou a procura de um, pois além da covardia que os acompanha, eles precisam se sentir representados,

4. Todos são educados para se transformarem em heróis.  Na ideologia do Fascismo Eterno, heroísmo é a norma. Este culto ao heroísmo é estritamente ligado ao culto à morte. Elegem um presidente, não porque precisam de um, mas porque precisam de um mito, de um herói, de um messias. Concomitantemente se acham heróis também, são os que salvarão o país da ameaça (que eles mesmo criam). Podem escolher como inimigos, um partido, uma religião, um grupo específico etc.

5. Machismo e armas. O Machismo implica ao mesmo tempo um desdém pelas mulheres (misoginia) e uma intolerância — e condenação — a hábitos sexuais fora do padrão, da castidade à homossexualidade.

6. Populismo seletivo. Aqui, Umberto Eco, além de historiador nos prevê que “No nosso futuro haverá o populismo de TV ou de Internet, no qual a resposta emocional de um seleto grupo de cidadãos pode ser apresentada e aceita como a Voz do Povo”. Ora, se isso já não está acontecendo? Você percebe como os fascistas usam as redes sociais? 

7. O Fascismo Eterno fala a Novilíngua de Orwell* . Todos os livros didáticos do Nazismo ou Fascismo faziam uso de um vocabulário pobre e de sintaxe elementar, a fim de limitar os instrumentos para um raciocínio complexo ecrítico.  Quando o presidente de uma nação fala que os livros didáticos têm muitas letras, na verdade chamamos isso de Novilíngua (novafala é um idioma fictício criado pelo governo hiperautoritário na obra literária 1984, de George Orwell. A novilíngua era desenvolvida não pela criação de novas palavras, mas pela "condensação" e "remoção" delas ou de alguns de seus sentidos, com o objetivo de restringir o escopo do pensamento.) Resumir o livro didático a figuras e dar novos sentidos às palavras é uma ação autoritária e extremamente perigosa, mas que é uma das metas do fascismo.

Esse é nosso resumo. Está claro que o governo atual brasileiro é fascista queira você ou não.
Pra terminar deixa te dar umas dicas para que você não passe vergonha por aí:

a) Nunca, mas em hipótese alguma diga que o fascismo é de esquerda;
b) O Nazismo é um braço do Fascismo;
c) Os antifas de hoje são grupos que lutam contra a extrema direita;
d) Não existe antifas de direita;
e) Não diga nunca, que é de direita, mas não é fascistas, as duas coisas estão intimamente ligadas;
f) Os antifas não são um grupo, não tem líder, não tem sede, não tem uma coordenação, por isso não se pode prender, acabar ou destruir os antifas.
g) Ser antidireitista é ser antifascista. Pois todo direitista é fascista.

Tio David agradece a leitura, até mais.

Petrolina, 07/07/20


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.