Portal Euclidense: Galaxy S21 Ultra vs iPhone 12 Pro Max, o melhor APPLE vs o melhor SAMSUNG

INICIO

domingo, 28 de fevereiro de 2021

Galaxy S21 Ultra vs iPhone 12 Pro Max, o melhor APPLE vs o melhor SAMSUNG

Neste comparativo temos o Galaxy S21 Ultra e o iPhone 12 Pro Max com um visual completamente diferente: o celular da Samsung oferece bordas mais finas que o iPhone, além de contar com o atual furo na tela para a câmera frontal, enquanto o modelo da Apple aposta no já datado "notch" em formato de “bigode”.

Vale mencionar, também, que o iPhone 12 não mexeu no design em relação à geração anterior, trazendo um módulo de câmeras em formato de “cooktop” que divide opiniões, diferente do S21 que resolveu dar uma cara nova à família e trazer um visual bastante diferente em relação aos modelos anteriores, com um conjunto fotográfico que se conecta à moldura do aparelho.


Visual premium é o lema destes dois aparelhos. O Galaxy S21 Ultra entrega acabamento fosco com traseira de vidro e uma peça de metal para abrigar as câmeras traseiras. Enquanto isso, o iPhone 12 Pro Max se destaca pela tela com o vidro reforçado Ceramic Shield para aumentar a proteção contra impactos. As dimensões do celular da Apple são menores em altura e espessura, mas a largura maior dificulta o uso em uma mão, e o peso é exatamente o mesmo do seu rival.

A “Maçã” ainda aposta em um notch com formato retangular mais tradicional. Só que agora o entalhe está menor e mais fino. A solução de biometria segue o famoso Face ID, para desbloqueio com reconhecimento facial. Por outro lado, a Samsung entrega o leitor biométrico sob a tela como solução adicional. Já o furo no display foi mantido para abrigar a câmera frontal. Outra mudança positiva do S21 Ultra para a geração passada aconteceu na inclusão de laterais curvas, a fim de aumentar a aparência sofisticada.

Ambos entregam resistência a água e poeira pela certificação IP68, para não ter perigo se o celular cair em uma piscina ou molhar na chuva. A opção da coreana é pelo slot duplo para um segundo cartão SIM, sem espaço para expansão via microSD. Já a norte-americana insistiu no ainda pouco usado eSIM como solução secundária.

O Galaxy buscou melhorar não só o design, mas também a tela para esta geração. O S21 Ultra agora vem com painel Dynamic AMOLED 2X, com taxa de atualização de 120 Hz, para dar mais fluidez especialmente em jogos. Do outro lado, está o display OLED do iPhone, com suporte a HDR10 e Dolby Vision para imagens de maior qualidade. Mas a “Maçã” não ousou na taxa de atualização e manteve 60 Hz no seu top de linha.

Por mais que a tela do aparelho da Apple não decepcione e entregue o melhor brilho da família, a Samsung oferece resolução Quad HD maior que o Full HD do concorrente e um aproveitamento frontal melhor, além de ser um pouco maior em tamanho.

A coreana implementou melhorias sonoras para o seu top de linha de última geração. O áudio aqui está mais balanceado e tem potência alta o suficiente para curtir um bom filme e aproveitar em jogos mesmo se estiver em algum lugar mais barulhento. Mas ainda não é o suficiente para chegar nos graves encorpados encontrados no iPhone 12 Pro Max. O dispositivo da Apple ainda entrega médios precisos e agudos sem distorção, com um som que supera a linha 2020 da empresa.

Para a família S21, a Samsung resolveu seguir algo que a “Maçã” já praticava há um tempo e cortou a presença de fones de ouvido na caixa. Você precisará de um acessório sem fio e comprado à parte se quiser ouvir uma música sem incomodar ninguém ao redor.

A One UI tem melhorado ao longo do tempo para ganhar cada vez mais recursos. E não é diferente com S21 Ultra. Ele sai da caixa com a versão 3.1, baseada no Android 11, e vem com novidades como o suporte a canetas stylus e DeX sem fio com PCs. A fluidez também não decepciona, mas ainda está longe de chegar no nível de otimização que o iOS entrega.

O iPhone vem com a versão 14.1 do sistema da “Maçã” e tem grande vantagem na longevidade ao usuário. Aqui são cinco anos de atualizações de sistema suportadas, contra três do concorrente coreano. Mesmo com a ampliação da quantidade de update por parte da Samsung, ainda não é o suficiente para chegar na rival.

O iPhone 12 Pro Max chegou com a responsabilidade de suceder o smartphone líder dos nossos testes de desempenho, enquanto o S21 Ultra precisava mostrar mais uma vez que um chip Exynos tinha capacidade de se igualar ao top do momento da Qualcomm.

Por um lado, o chip A14 Bionic soube corresponder e fez do carro-chefe mais recente da Apple o mais rápido dos nossos testes, mesmo com 6 GB de RAM. Em contrapartida, o Exynos 2100 não mostrou um grande avanço em relação ao 990 e entregou velocidade similar ao antecessor, mas atrás do rival da Apple em multitarefas, apesar de ter mais memória.

Já em benchmarks, o salto foi maior para esta geração do Galaxy top de linha na comparação com o hardware da Samsung no ano passado. Porém, ainda não foi o suficiente para superar o iPhone no AnTuTu, o que demonstra as limitações do software da coreana para explorar o potencial dos componentes.


Os dois aparelhos rodam a maioria dos jogos sem maiores problemas. A vantagem aqui fica para a tela de 120 Hz do Galaxy, que permite maior fluidez, com cada vez mais títulos suportando essa taxa de atualização.

O conjunto de câmeras da Samsung tem uma lente a mais que o rival e novas possibilidades, enquanto a aposta da Apple fica para o sensor LiDAR, que escaneia o espaço para medir distância. Falando sobre a câmera principal, as fotos sob o Sol ficam menos saturadas e fogem do tom amarelado visto em imagens feitas pelo iPhone. Mas à noite, a coreana deixou o modo noturno automático e, na combinação com o modo retrato, acaba por falhar na hora de captar mais luz para deixar a foto mais clara. Sem o efeito bokeh, como você pode ver na sua tela, o erro já não acontece.

As duas opções ultrawide exibem queda considerável na qualidade, em comparação com o sensor principal, mas ainda assim conseguem fazer um trabalho satisfatório. O diferencial fica para a lente do S21 Ultra, que tem foco automático para fazer a função de macro.

Lembra que falamos sobre o conjunto da Samsung ter uma câmera a mais? Pois bem, a empresa inseriu duas teleobjetivas no seu top para combinar um zoom de 100 vezes que não perca tanto a qualidade. Por outro lado, o iPhone mantém zoom óptico até 2,5x. Acima disso, há uma baixa acentuada nos detalhes.

Além do suporte à resolução 8K, a Samsung inseriu recursos adicionais em vídeo, como o Modo Diretor – para gravar com câmeras traseira e frontal ao mesmo tempo. Já a Apple aposta no Dolby Vision e em cores mais vívidas que os modelos anteriores da marca. As gravações dos dois, no geral, acertam em foco, estabilização e áudio.

A coreana conseguiu evoluir a câmera frontal do S21 Ultra ao entregar quatro vezes mais pixels que o último modelo da linha Note. O resultado foi mais expressivo em cenários escuros. Mas as selfies ainda são o território forte do iPhone 12 Pro Max. Ele registra mais detalhes de pele e acerta mais no modo retrato. Ambos filmam em 4K mesmo com a câmera frontal e sofrem pouco com ruídos em relação a antecessores.

O iPhone 12 Pro Max já está no mercado brasileiro desde o ano passado, enquanto o S21 Ultra ainda está chegando ao país. O modelo da Apple foi lançado por preços superiores ao rival da Samsung e passou dos R$ 10 mil. Mas o Galaxy não fez muito diferente e tem valor sugerido a partir de R$ 9.500. Só que os custos encontrados atualmente no mercado já mostram o iPhone e o próprio Galaxy na casa dos R$ 8 mil.

Mas o modelo coreano tem potencial para baixar seu preço mais rápido no mercado. Sem contar as promoções extras de pré-venda, com dinheiro de volta e voucher, que conseguem baixar ainda mais o custo aos interessados.

VEJA VÍDEOS COMPARATIVOS:



Nenhum comentário:

Postar um comentário