Portal Euclidense: Governo Bolsonaro usa foto de homem armado para homenagear o Dia do Agricultor

INICIO

28/07/2021

Governo Bolsonaro usa foto de homem armado para homenagear o Dia do Agricultor

Uma foto de um homem armado em homenagem ao Dia do Agricultor publicada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República causou polêmica nesta quarta-feira (28).

O tuíte recebeu diversas críticas dos usuários e um deles apontou a origem da imagem, que foi retirada do banco de imagens iStock, que é pago. Neste site, a foto tem a seguinte descrição: "Silhueta de caçador carregando espingarda no ombro e observando".

No Twitter, diversos internautas criticaram a publicação, principalmente, as alas do agronegócio brasileiro, mesmo as mais conservadoras não se sentiram representadas, sobretudo em um momento em que o agro brasileiro procura melhorar sua imagem no exterior. “Absurdo”, “inacreditável”, “revoltante”, "lamentável", "sem noção" e “vergonha” são algumas das definições que circulam no setor sobre o post.

 

 Política armamentista

Desde que assumiu o comando, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem assinado decretos para ampliar o acesso a armas. Em fevereiro do ano passado, o governo federal editou um "pacote de mudanças" em decretos de 2019, flexibilizando os limites para compra e estoque de armas e cartuchos. Uma dessas alterações elevou, por exemplo, de quatro para seis o número máximo de armas de uso permitido para pessoas com Certificado de Registro de Arma de Fogo.

Outro decreto deu permissão para que atiradores e caçadores registrados comprem até 60 e 30 armas, respectivamente, sem necessidade de autorização expressa do Exército. Com isso, em apenas três anos, o Brasil dobrou o número de armas nas mãos de civis, segundo um Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado neste mês.

Em 2017, segundo a Polícia Federal, o Sistema Nacional de Armas (Sinarm) contabilizava 637.972 registros de armas ativos. Ao final de 2020, o número subiu para 1.279.491 – um aumento de mais de 100%. E, o número de pessoas físicas que pediram registros para atuarem como caçadores, atiradores desportivos e colecionadores aumentou 43,3% em um ano: de 200,1 mil pessoas, em 2019, para 286,9 mil, em 2020. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário