Portal Euclidense: 25ª Coorpin prende acusado até em cemitério

INICIO

01/08/2021

25ª Coorpin prende acusado até em cemitério

Nossos leitores, sem dúvida, já perceberam a intensidade das publicações das prisões, nos últimos meses, realizadas pela Polícia Civil da Bahia, em especial pela força policial da 25ª Coorpin – Coordenadoria Regional de Polícia do Interior, que abrange mais de uma dezena de municípios circunvizinhos. Trata-se da prisão de pessoas acusadas por uma variedade de crimes cometidos por homens e mulheres, de jovens a idosos, que tinham contra si alguma ordem judicial para responderem pelas respectivas acusações em um regime privado da liberdade.

Toda essa intensidade de reportagens, produzidas majoritariamente pelo repórter Jaciel Correia, que há mais de 10 anos acompanha o trabalho das forças de segurança pública em Euclides da Cunha (com maior ênfase) e região, demonstra que a Polícia Civil com apoio da Polícia Militar da Bahia, de Guardas Civis Municipais da Bahia e da população cumpre bem com seu papel de assegurar que os criminosos e suspeitos respondam na Justiça pelos seus atos.

Obviamente, alta quantidade de prisões significa alta quantidade de crimes. Mas isso não indica que os crimes estejam ocorrendo em mesma escala de tempo. Conforme nossos leitores puderam/podem observar, quase todas as prisões de acusados noticiadas são bem antigas; algumas delas perpassadas por décadas.

Desde 2019, a criminalidade em todo o país está reduzindo aos poucos, o que é um aspecto histórico e positivo, visto que nas duas últimas décadas os números só subiam. Os motivos são variados, e o que se sabe e é científico é: quanto maior a certeza de punição a ser aplicada pelo Estado aos delinquentes, menor a taxa de criminalidade.

Na 25ª Coorpin, o Serviço de Inteligência (SI) é chefiado pelo policial civil Rafhael Rangel, que demonstra está cumprindo seu dever perante à sociedade ao lado dos seus companheiros, o que é um ótimo indicativo para as pessoas de bem e uma péssima notícia aos criminosos, independentemente do crime, do tempo ocorrido, do local para qual tenham fugido. Com parceiros locais, contatos externos e outras polícias, o SI consegue perpassar os limites dos municípios e dos estados. Anteontem, por exemplo, o SI da Delegacia Territorial de Euclides da Cunha, guarnições da Polícia Civil da Bahia e Guarda Municipal de Ribeira do Pombal conseguiu localizar em um cemitério um homem acusado de Roubo Qualificado, em um cumprimento a um mandado de prisão expedido pela Justiça, Vara Crime da cidade de Paripiranga, Bahia. O acusado de iniciais F. L. de S., de 32 anos de idade, tem contra si um mandado de prisão preventiva pelo crime de Roubo Qualificado, fato ocorrido há 4 anos.

Nesta sexta-feira (30), com o apoio da Policia Civil do estado de Minas Gerais, um homem de iniciais R. E. S., de 36 anos de idade, vulgo Truta, foi localizado e preso na cidade de Araxá – MG. Segundo a Polícia, o indivíduo é acusado pelo crime de homicídio qualificado, fato ocorrido há 13 anos, no povoado de Capim Duro, zona rural do município de Fatima, Bahia, após uma discussão em um bar. Segundo consta, Truta teria jurado matar seu desafeto, e o matou com vários golpes de faca.


De crimes graves, como homicídio, a menos graves, como roubo, reportamos dezenas de prisões nos últimos meses, deixando claro que o crime não prevalece. Aliás, há um “velho” ditado popular deixando claro que, no caso do Brasil, “a Justiça tarda, mas não falha” – ao menos para pequena parte dos criminosos. É certo que o sistema de segurança pública do Brasil com seu conjunto de leis precisa avançar na qualidade da investigação e melhorar os índices de resolução de crimes, que atualmente é muito baixo, em comparação com países desenvolvidos, principalmente.

Isso é possível com empenho de cada servidor integrante da força policial brasileira atrelado com políticas governamentais bem planejadas e executadas. Tomemos como referência a meta superada pelo SI da 25ª Coorpin. Segundo o chefe o SI, a meta deste mês de julho era cumprir 20 mandados judicias; foram cumpridos 32.

É importante ressaltar que a prisão de um acusado não é uma tarefa meramente simples, mas pode ficar menos delicada, menos custosa e mais eficaz com a participação da população, especialmente pelo mecanismo de denúncia, que pode ser anônimo, de forma bem simples e pelo celular. Inclusive, constantemente, a 25ª Coorpin atualiza o “baralho do crime” regional, com fotos e algumas informações de pessoas foragidas da Justiça. 

EUCLIDESDACUNHA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário