Quinta, 20 de Janeiro de 2022 18:09
TECNOLOGIA Deslizamento

Entenda as causas do deslizamento de terra em Ouro Preto (MG)

Com chuvas intensas ao longo de vários dias, o terreno acabou alcançando o seu limite de saturação, o limite de sua capacidade de comportar toda a água das intensas chuvas

13/01/2022 16h40 Atualizada há 1 semana
Por: Redação Fonte: Olhar digital
Entenda as causas do deslizamento de terra em Ouro Preto (MG)

A população de Ouro Preto (MG) ficou assustada na manhã desta quinta-feira (13) em razão do deslizamento de terra no Morro da Forca. O acidente causou a destruição de um casarão do século XIX que pertencia à Prefeitura e também de um depósito, no centro histórico da cidade. As imagens viralizaram na internet e houve pânico entre os moradores que transitavam ao redor do local. 

Apesar da gravidade, ninguém se feriu. Os imóveis estavam interditados desde 2012, quando houve um primeiro deslizamento no mesmo lugar. Minutos antes da terra vir abaixo, o Corpo de Bombeiros conseguiu evacuar a área, ação que garantiu a segurança dos cidadãos. 

Crédito: Imagem divulgada em redes sociais, gravada por moradores

Chuvas tropicais aliadas a descaso público influenciaram no desmoronamento

O deslizamento de terra que atingiu Ouro Preto foi causado principalmente por um processo natural de movimentos no terreno decorrentes de grandes tempestades tropicais. A explicação é do Doutor em Gerenciamento de Riscos e Segurança pelo Departamento de Engenharia Oceânica da COPPE – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Gerardo Portela da Ponte Junior, que tem especialização em Engenharia de Segurança pelo Charles W. Davidson College of Engineering, The California State University.

Em sua análise, o especialista afirmou que áreas de risco sempre estão sujeitas a esse tipo de acidente, mas as autoridades públicas, conscientes dos riscos, devem sempre agir preventivamente para evitar perdas humanas, patrimoniais, ambientais e de imagem, realizando o isolamento e limitação de acesso. 

Para evitar o acidente que destruiu um patrimônio histórico, uma avaliação e estudos de geotecnia deveriam ter sido priorizados, o que inclui a elaboração de um projeto, contratação e execução de obra civil de contenção.  

“Muitas vezes os custos são elevados e o tempo pode se estender por meses até a proteção ser alcançada. Essa obra civil não foi executada no caso desse acidente. Então, com chuvas intensas ao longo de vários dias, o terreno acabou alcançando o seu limite de saturação, o limite de sua capacidade de comportar toda a água das intensas chuvas”, explicou Portela.   

A partir desse ponto de saturação, a água não tem mais como ser absorvida e o terreno pode perder sua compactação rapidamente, tornando-se instável pelo próprio peso, gerando deslizamentos como o ocorrido na manhã desta quinta-feira (13).  

 
Gerardo Portela
Especialista ouvido pelo Olhar Digital afirmou que deslizamentos de terra podem ser prevenidos por meio de um estudo geotécnico e elaboração de projeto que priorize o monitoramento constante, além de atuação do poder público para evitar ocupações em áreas de risco Imagem: Divulgação pessoal
Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Euclides da Cunha - BA
Atualizado às 18h05 - Fonte: Climatempo
27°
Poucas nuvens

Mín. 18° Máx. 33°

28° Sensação
3 km/h Vento
63% Umidade do ar
90% (2mm) Chance de chuva
Amanhã (21/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 17° Máx. 34°

Sol e Chuva
Sábado (22/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 18° Máx. 33°

Sol e Chuva
Anúncio
Anúncio